|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Mais de 200 portugueses foram repatriados da Venezuela

01 ago, 2020 - 09:10 • Lusa

O voo foi organizado por Portugal transportou ainda outros 100 cidadãos de outras nacionalidades,mas principalmente europeus.

A+ / A-

Veja também:


Portugal repatriou nesta sexta-feira 264 portugueses da Venezuela, quase metade deles oriundos da Madeira, que tinham ficado retidos no país devido à pandemia do novo coronavírus.

Foram transportados num voo organizado por Portugal, que transportou ainda outros 100 cidadãos de outras nacionalidades, principalmente europeus.

O voo, o segundo organizado por Portugal, operado pela companhia aérea portuguesa Hifly, descolou do Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía (28 quilómetros a norte de Caracas) pelas 20h39 de sexta-feira com destino à capital portuguesa.

"Neste voo vão 374 pessoas, 264 portugueses e desses portugueses cerca de 50% destinados à Madeira. Temos um grande número de italianos, também venezuelanos, espanhóis e coreanos", disse o cônsul-geral de Portugal em Caracas.

Em declarações à agência Lusa, Licínio Bingre do Amaral explicou que o processo para chegar até ao aeroporto foi longo e complicado, devido às restrições à circulação no âmbito das ações de prevenção e combate à Covid-19. "Estava muito complicado devido aos controlos de segurança na autoestrada. Nós [diplomatas] demorámos uma hora e meia a chegar e não sei como fizeram algumas pessoas. Umas chegaram muito cedo, mas todas demoraram muito tempo a chegar ao aeroporto", explicou.

O diplomata disse ainda que a maior parte dos passageiros lusitanos "querem regressar a Portugal" e que "continua a haver muita gente, com bilhetes de avião [comprados] que vieram e não puderam voltar".

"Também há casos de saúde, de pessoas que estão a fazer tratamento oncológico e outros mais complicados, que aqui [na Venezuela] não têm condições e têm residência em Portugal e vão para Portugal", acrescentou.

O diplomata recomendou aos lusitanos que cumpram a quarentena porque "em termos de saúde neste momento é muito importante porque aparentemente o pico (de contágios) na Venezuela será agora".

Na Venezuela estão confirmados 18.574 casos de pessoas infetadas e 164 mortes associadas ao novo coronavírus. Estão também dados como recuperados 10.666 pacientes.

O país está desde 13 de março em estado de alerta, o que permite ao executivo decretar "decisões drásticas" para combater a pandemia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.