Tempo
|
A+ / A-

Descarrilamento em Soure. "Alfa pode chegar aos 190 km/h" no troço onde ocorreu acidente

31 jul, 2020 - 18:06 • João Carlos Malta

O presidente da Associação de Utentes Comboios do Século XXI , Nuno Gomes Lopes, teme o impacto que o acidente tenha em quem utiliza a ferrovia.

A+ / A-

Saiba mais:


O presidente da Associação de Utentes Comboios do Século XXI , Nuno Gomes Lopes, diz que a zona do acidente é um local em que os Alfa Pendular circulam a grande velocidade. No acidente em Soure, que envolveu um Alfa e um veículo de reparações de cantanárias, morreram duas pessoas e ficaram feridas 43 pessoas.

"Este troço a informação que temos é de que é um troço em que pode acekerar bastante e podia chegar a 190km/h [naquele troço]", diz o dirigente associativo Nuno Gomes Lopes.

Passageiro descreve momento em que Alfa descarrilou. “Tudo rebentava por todos os lados”
Passageiro descreve momento em que Alfa descarrilou. “Tudo rebentava por todos os lados”

Aquela "é uma zona de obras", adianta, e o Alfa "é o nosso topo de gama, o comboio mais rápido". Por isso, explica, "as margens de circulação de um Alfa são sempre muito prolongadas".

"Tem uma margem enorme à sua frente. Em termos ferroviários precisam de muito espaço à sua frente para andarem a bastante velocidade", concretiza.

Gomes Lopes diz que com os dados existentes é difícil de perceber o que realmente aconteceu mas equaciona duas hipóteses."Ou a máquina estava esquecida, ou teve uma avaria e ela não foi comunicada", refere, ao mesmo tempo que explica que "ou foi uma descoordenação", o que considera "pouco provável", ou "falhou a comunicação de alguma maneira".

Por fim, Nuno Lopes Gomes apresenta as condolências às famílias das vítimas ao mesmo tempo que teme que estes acidentes "criem reticências" nas pessoas que andam de comboio.

O descarrilamento do comboio, que seguia no sentido Sul-Norte, ocorreu após o embate entre o Alfa Pendular e uma máquina de trabalho, tendo o alerta sido dado às 15h30, afirmou fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) à agência Lusa.

O embate ocorreu na zona de Casalinhos, concelho de Soure. O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários revelou, entretanto, que vai investigar o acidente.Fonte do GPIAAF disse à agência Lusa que a equipa de investigação já está a caminho do local para dar início às investigações e apurar as circunstâncias em que se deu o acidente.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.