Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

Irlanda dispensa 13 países de quarentena, mas deixa Portugal de fora

22 jul, 2020 - 08:54 • Lusa

A chamada “lista verde” passa a incluir Malta, Finlândia, Mónaco, Grécia e Itália e ainda os territórios de Gibraltar, Mónaco e San Marino.

A+ / A-

O Governo de Dublin publicou a nova lista de países, cujos viajantes estão isentos de cumprir quarentena ao chegar à Irlanda. Portugal, Espanha, França e Reino Unido mantêm-se de fora, bem como os Estados Unidos.

A chamada “lista verde” é composta por 13 países europeus e dois territórios (Gibraltar e Gronelândia), que possuem um número de casos de coronavírus por 100.000 habitantes igual ou menor ao da Irlanda.

Os países incluídos na lista são: Malta, Finlândia, Noruega, Itália, Hungria, Estónia, Letónia, Lituânia, Chipre, Eslováquia, Grécia, Mónaco e São Marino.

O critério do Governo irlandês é libertar de quarentena os passageiros de países com taxas de infeção semelhantes às da Irlanda – ou seja, um máximo cinco casos por 100 mil habitantes, uma das taxas de infeção mais baixas da União Europeia.

Esta lista é revista a cada 15 dias, com base em dados oficiais e nas opiniões de peritos de saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Americo Anastacio
    22 jul, 2020 Leiria 12:11
    "................e as vacas voavam............... Pobre POVO o nosso, de que eu faço parte integrante.
  • José J C Cruz Pinto
    22 jul, 2020 Ílhavo 09:40
    E sempre quero ver se o Governo Português vai mais uma vez protestar sem a mais pequena ponta de razão. Não éramos (somos) dos maiores?