|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19 em Cascais: 1,3% da população testada teve contacto com o vírus

20 jul, 2020 - 18:01 • Manuela Pires

A Câmara de Cascais decidiu testar toda a população. Até agora, 30 mil habitantes fizeram o teste serológico e apenas 1,3% estiveram em contacto com o novo coronavírus. Mas é preciso fazer mais testes e há um autocarro laboratório a circular pelo concelho, e ainda equipas de voluntários em 40 bairros que vão porta a porta para tentar convencer os moradores a fazer o teste à Covid-19.

A+ / A-
Testes serológicos em Cascais - Reportagem de Manuela Pires
Testes serológicos em Cascais - Reportagem de Manuela Pires
Ouça aqui a reportagem da jornalista Manuel Pires

Veja também:


Está muito calor esta manhã. No bairro da Adroana há poucas árvores e a esta hora não se vê ninguém nas ruas. A equipa de voluntários da Câmara de Cascais está a preparar-se para mais um dia de trabalho. São jovens, a maioria vive no bairro. Levam na mochila máscaras para dar aos moradores e os formulários para a inscrição nos testes serológicos.

A Câmara de Cascais decidiu testar toda a população do concelho. As inscrições são feitas pela internet e muitas pessoas queixam-se que não é nada fácil.

Um mês e meio depois, a autarquia apercebeu-se que havia uma franja da população que não estava inscrita, na maioria são residentes dos bairros sociais. Decidiu então fazer outra abordagem. Há um autocarro laboratório que anda a circular pelo concelho e onde é possível fazer o teste. Mas nem assim.

Foram então criados postos avançados em 40 bairros do concelho. Daniela Madeira é a coordenadora do posto da Adroana: “estamos aqui até às oito da noite e qualquer pessoa residente em Cascais pode vir cá, faz a inscrição para o teste e damos também outro tipo de apoio, a nível alimentar e informação sobre emprego”, revela à reportagem da Renascença.

Desde o início do mês de julho, 1.500 pessoas inscreveram-se para fazer os testes nestes 40 postos avançados. Estão envolvidos 300 jovens voluntários, dos 15 aos 30 anos.

Justino Cadjocarinha tem 15 anos, veio da Guiné com dois anos e sempre viveu aqui no bairro da Adroana.

Esta manhã é ele quem toca às campainhas. Sabe onde as pessoas moram e até quem está a dormir a esta hora.

“Há muitas pessoas que já fizeram o teste no autocarro, mas muitos ainda não sabem que podem fazer o teste e temos de informar”, diz à Renascença.

A comunicação através do intercomunicador nem sempre é fácil, porque muitos estão avariados e Justino prefere falar cara a cara.

Foi o que aconteceu com Rosa Segovia, que nasceu na Bolívia e vive em Portugal há mais de 40 anos. Está a chegar a casa com uma couve portuguesa debaixo do braço e muitas perguntas sobre os testes: “eu posso fazer o teste, mas se estiver muita gente não quero. E os meus netos também podem fazer o teste?”, pergunta aos voluntários, que respondem que toda a gente pode fazer, basta morar no concelho.

No prédio seguinte a tarefa fica mais fácil. A moradora, que está sair de casa, diz que já fez o teste no autocarro e até já sabe o resultado, não reativa.

30 mil testes feitos, 1,3% já estiveram em contacto com o vírus

O concelho de Cascais tem 214 mil habitantes. Até agora já fizeram o teste serológico 30 mil pessoas, estão agendados mais 20 mil testes.

Em declarações à Renascença, o autarca Carlos Carreiras reconhece que “seria extraordinário testar 50% da população e isso ia demorar cerca de cinco meses”.

O presidente da Câmara de Cascais revela que as visitas porta a porta nos bairros com maior incidência de casos positivos da Covid-19 é definida pelas autoridades de saúde locais.

Carlos Carreiras diz que não consegue definir uma estratégia de trabalho sem ter dados concretos. Num pequeno tablet mostra os números, os gráficos dos testes serológicos (que permitem avaliar se uma pessoa tem anticorpos específicos para o novo coronavírus no sangue) e dos PCR (que são capazes de confirmar a presença do vírus).

Com 30 mil testes serológicos realizados, “a taxa de reativos é de 1,3%, mas se aplicarmos à população de Cascais seriam 3 mil infetados. O que nos dizem os dados cruzados com os PCR é que temos no concelho 1.300 casos” revela Carlos Carreiras à Renascença.

O presidente da Câmara de Cascais partilha os dados que tem dos testes serológicos com as autoridades de saúde locais e está convencido que “esta partilha de dados com as autoridades de saúde é a única solução para conseguirmos combater a Covid-19”.

MAPA DA COVID-19

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.