Tempo
|
A+ / A-

Papa reforça apelo por cessar-fogo global, para ajudar vítimas da pandemia

19 jul, 2020 - 12:57 • Aura Miguel com Ecclesia

O Papa mostrou-se ainda preocupado com os confrontos fronteiriços entre as forças da Arménia e do Azerbaijão, que provocaram várias mortes nas últimas semanas.

A+ / A-
Papa reforça apelo a cessar-fogo global, para ajudar vítimas da pandemia
Papa reforça apelo a cessar-fogo global, para ajudar vítimas da pandemia

O Papa reforçou, este domingo, no Vaticano o seu apelo em favor de um cessar-fogo global, que permita ajudar as vítimas da pandemia, em particular nos territórios mais pobres.

“Neste momento em que a pandemia não parece abrandar, asseguro a minha proximidade com os que enfrentam a doença e as suas consequências económicas e sociais. Penso, em particular, nas populações, cujos sofrimentos são agravados por situações de conflito. Renovo o pedido de um cessar-fogo global e imediato, que permita a paz e a segurança essenciais para fornecer a assistência humanitária necessária", disse Francisco, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação do ângelus.

O Papa recordou que, neste mês de julho, o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade uma resolução que pede um cessar-fogo global, de forma a facilitar a luta contra a Covid-19.

A pandemia provocou a morte de mais de 600 mil pessoas em todo o mundo desde dezembro de 2019, refere hoje o mais recente balanço da agência de notícias France-Presse (AFP); em Portugal, morreram 1684 pessoas e houve 48 390 casos confirmados de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

O Papa mostrou-se ainda preocupado com os confrontos fronteiriços entre as forças da Arménia e do Azerbaijão, que provocaram várias mortes nas últimas semanas.

“Sigo com preocupação o agudizar, nos últimos dias, das tensões armadas na região do Cáucaso”, declarou.

“Asseguro as minhas orações pelas famílias do que perderam a vida, durante os confrontos, e desejo que, com o empenho da comunidade internacional, e através do diálogo e da boa vontade das partes, se possa chegar a uma solução pacífica duradoura, que tenha no coração o bem daquelas amadas populações”, prosseguiu Francisco.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.