|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

​Marcelo sobre o caso BES. “Mais vale tarde do que nunca”

15 jul, 2020 - 16:08 • Ricardo Vieira

Presidente da República considera que a justiça portuguesa está a viver um bom período e, assim, os portugueses acreditam mais na justiça e na democracia.

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirma que “mais vale tarde do que nunca”, numa referência à acusação do processo Banco Espírito Santo (BES) que foi conhecida na última noite.

Em declarações aos jornalistas no Palácio de Belém, Marcelo Rebelo de Sousa considera que a justiça portuguesa está a viver um bom período e, assim, os portugueses acreditam mais na justiça e na democracia.

“Penso que estamos a viver um bom período para a justiça portuguesa e o Presidente da República fica muito feliz com isso”, declarou.

Marcelo Rebelo de Sousa lembra que, em diversas ocasiões, manifestou publicamente a sua preocupação com a demora na justiça portuguesa, “com aquilo que na cabeça de muitos portugueses era uma preocupação com casos que achavam que era importante serem investigados, julgados e decididos”.

“Mas uma justiça feita seis, sete, oito, nove, dez anos ou 12 anos depois ainda é justa e vale a pena? Eu acho que vale a pena. Tudo a desistir-se de fazer justiça. Pode ser mais cedo e é sempre desejável ser mais cedo ou mais tarde. Às vezes, a colaboração com outros países leva a que o mais tarde seja muito tarde, mas mais vale tarde do que nunca”, sublinha o Presidente da República.

O Ministério Público do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) deduziu acusação contra 25 arguidos, 18 pessoas singulares e sete empresas, nacionais e estrangeiras, por vários crimes económico-financeiros no âmbito do processo BES/Universo Espírito Santo, em que a figura central é o ex-banqueiro Ricardo Salgado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    15 jul, 2020 évora 20:50
    Este senhor Presidente esquece a diferença entre o ser e o senhor comentador da TVI . Merce descredito total do povo . É apenas um vendedor de políticas hoje em dia .