|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Peregrinação de julho

Fátima. Pandemia veio recordar que "precisamos uns dos outros"

13 jul, 2020 - 12:19 • Teresa Paula Costa

O bispo auxiliar do Porto, D. Vitorino Soares, presidiu às celebrações.

A+ / A-

O bispo auxiliar do Porto, D. Vitorino Soares, disse esta segunda-feira em Fátima que a pandemia veio recordar à humanidade que todos precisam dos outros e que isso deve acontecer no dia a dia.

"Debaixo da nuvem da pandemia, que nos escondeu e nos trouxe a incerteza e preocupação, e ainda continua a esconder, a mensagem de Fátima recorda-nos o que a história e a humanidade tanto esquecem: precisamos uns dos outros", declarou D. Vitorino Soares na homilia da missa a que presidiu no encerramento de mais uma peregrinação aniversária à Cova da Iria.

Lembrando “o sentido do pedido de Nossa Senhora, na terceira aparição, na Cova da Iria”, o bispo questionou: “Queremos sacrificar-nos uns pelos outros? Queremos ser oferenda e oferta, uns pelos outros?”

Para D. Vitorino Soares, “não se trata de sacrifícios de vítimas ou bodes expiatórios, mas irmãos que, por amor, se oferecem uns aos outros, nos gestos pequenos do dia a dia.”

D. Vitorino Soares ainda lembrou a promessa deixada em Fátima da vitória definitiva do “coração da Paz, do Bem, da Bondade”.

“No meio desta pandemia, no meio das nossas incertezas. No meio dos nossos sofrimentos. No meio das nossas dificuldades laborais e económicas. No meio das nossas inseguranças e medos”, considerou o bispo, “Tu, Senhora de Fátima continuas a dizer-nos: ‘o meu Imaculado coração triunfará.’”

Esta peregrinação de julho assinalou a terceira aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos na Cova da Iria.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.