|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19. Surto em fábrica do Carregado com 42 casos confirmados

13 jul, 2020 - 14:09 • Redação

De acordo com a diretora-geral da Saúde, nesta altura aguardam-se os resultados realizados a 170 pessoas.

A+ / A-

Veja também:


Há 42 casos confirmados num novo surto de Covid-19 na freguesia do Carregado, distrito de Lisboa, revelou esta segunda-feira a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas.

Os doentes são trabalhadores de uma fábrica de cerâmica do Carregado.

De acordo com a diretora-geral da Saúde, nesta altura aguardam-se os resultados realizados a 170 pessoas.

Está a ser feita a intervenção que costuma ser feita pelas autoridades de saúde e locais. Estamos a tentar conter o surto na sua origem, a procurar os contactos destas pessoas que podem estar espalhados por várias regiões da Grande Lisboa ou até mesmo outras”, explica Graça Freitas.

“Agora, é todo um trabalho de investigação epidemiológica que terá de ser feito”, sublinha a diretora-geral da Saúde.

Em relação ao surto no Hospital de São José, em Lisboa, dos 36 doentes que deram positivo, sete foram transferidos para o Hospital Curry Cabral e 29 estão isolados nas suas enfermarias.

A situação no IPO de Lisboa “está completamente estabilizada”, garante Graça Freitas. Até agora, foram detetados 121 casos positivos naquele hospital oncológico.

Portugal regista 1.662 mortes (mais duas) e 46.818 casos (mais 306, o que supõe um aumento de 0,7%) confirmados de infeção com Covid-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Uma das mortes e 254 dos diagnósticos (83,01%) ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com um total de 22.865 casos confirmados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.