|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19

Relatório DGS. Mais seis mortos e 291 infetados

12 jul, 2020 - 13:39

O total de mortos em Portugal é agora de 1660.

A+ / A-

Veja também:


Portugal regista 1.660 mortes (mais seis que no sábado, ou 0,4%) e 46,512 casos confirmados de infeção com Covid-19 (mais 291 em relação aos dados de sábado e um aumento de 0,6%), segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Dos novos diagnósticos, 226 ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo (78%), que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com um total de 22.611 casos confirmados. Foi também em Lisboa que morreram cinco das seis vítimas mortais, com o restante óbito a verificar-se no Norte. Há registo de dois novos casos de infeção na Madeira, mas os Açores não tiveram novos casos, pelo segundo dia consecutivo.

Apesar dos aumentos em Lisboa e Vale do Tejo, é o Norte que regista o maior número de mortes (822), depois Lisboa e Vale do Tejo (540), Centro (250), Alentejo (18), Algarve (15) e Açores (15, menos um óbito do que as autoridades regionais contabilizam).

Nas últimas 24 horas, o número de pessoas internadas subiu de 459 para 462, mas diminuíram os internados em cuidados intensivos, de 68 para 64.

O relatório deste sábado, com dados atualizados até às 00h00 de sábado, mostra uma subida de 252 no número de recuperados, para um total de 30.907.

Desde o dia 1 de janeiro, registaram-se 405.110 casos suspeitos. O relatório revela, ainda, que 1.638 casos ainda aguardam os resultados dos testes laboratoriais e mais de 34 mil pessoas estão sob vigilância das autoridades sanitárias.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (822), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (540), da região Centro (250), do Alentejo (18) e do Algarve (15). O boletim dá conta de 15 óbitos nos Açores. O arquipélago da Madeira continua sem registo de mortes por Covid-19.

É nos 80 anos para cima que se registam mais óbitos (1.111), seguido do grupo dos 70 aos 79 anos (320), dos 60 aos 69 anos (150), dos 50 aos 59 anos (55), dos 40 aos 49 anos (20), dos 20 aos 29 anos (2) e dos 30 aos 39 anos (2).

O número de mortos de homens e mulheres é idêntico, 830.

Reguengos sem novos casos

Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, registou no sábado o terceiro dia consecutivo sem vítimas mortais resultantes do surto de Covid-19 detetado num lar do concelho, em 18 de junho, informou este domingo a Câmara Municipal.

Trata-se do maior período temporal sem óbitos a registar desde que o surto do lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS) fez a primeira das suas 16 vítimas mortais já registadas, em 24 de junho.

De acordo com a atualização do boletim epidemiológico divulgada hoje pela Autoridade de Proteção Civil local, há, no entanto, mais um internamento no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), onde se encontram 11 pessoas internadas.

Entre os internamentos no HESE estão 10 utentes do lar da FMIVPS, cinco dos quais em cuidados intensivos, onde se encontra, também, o único caso de infeção comunitária a necessitar de cuidados hospitalares.

Ainda assim, o número de casos ativos de Covid-19 em Reguengos de Monsaraz desceu para 129 (eram 130 no sábado), o que se deve a mais um caso curado na comunidade e à passagem do quarto dia sem a deteção de qualquer novo caso de infeção comunitária.

[Notícia atualizada às 15h51]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 13 jul, 2020 01:33
    Vale mais um lar ter codavid" que se tornar numa prisao! Pelo menos o hospital de setubal tem o portao aberto e os medicos telefonam pra casa dos doentes!