|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus

Presidente interina da Bolívia testou positivo para o novo coronavírus

10 jul, 2020 - 00:35 • Lusa

Jeanine Añez diz que se sente bem e que ficará de quarentena durante 14 dias antes de fazer um novo teste.

A+ / A-

Veja também:


A Presidente interina da Bolívia, Jeanine Añez, testou positivo para o novo coronavírus. O anúncio foi feito esta quarta-feira pela própria, referindo que está bem.

“Estou positiva para a Covid-19, estou bem, trabalharei em isolamento. Juntos, seguiremos em frente”, lê-se numa publicação na conta oficial de Jeanine Añez no Twitter.

A Presidente interina da Bolívia acrescentou que estará “em quarentena durante 14 dias” e fará um novo teste.

“Sinto-me bem”, acrescentou, num vídeo partilhado na mesma conta.

A pandemia de Covid-19 já provocou quase 551 mil mortos e infetou mais de 12,12 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (132.803) e mais casos de infeção confirmados (mais de 3,08 milhões).

Seguem-se Brasil (69.184 mortos, mais de 1,75 milhões de casos), Reino Unido (44.602 mortos, mais de 287 mil casos), Itália (34.929 mortos e mais de 242 mil casos), México (32.796 mortos, mais de 275 mil casos), França (29.982 mortos, mais de 207 mil casos) e Espanha (28.401 mortos, mais de 253 mil casos).

A Índia, que contabiliza 21.129 mortos, é o terceiro país do mundo em número de infetados, depois dos EUA e do Brasil, com mais de 767 mil, seguindo-se a Rússia, com mais de 706 mil casos e 10.826 mortos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mew
    10 jul, 2020 18:15
    Os milhares de brasileiros em Portugal não têm direito a uma notícia acerca do seu presidente. Uma boliviana (provisória) tem.