|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Fernando Santos vê conquista do Euro 2016 como nova fase na “autoestima” de Portugal

10 jul, 2020 - 13:04 • Lusa

Volvidos quatro anos da maior conquista do futebol nacional, o selecionador recorda a glória conquistada com o golo de Éder.

A+ / A-

Fernando Santos encarou, esta sexta-feira, a conquista inédita do Euro 2016, como “um grande impulsionador da autoestima dos portugueses”, volvidos quatro anos da maior conquista do futebol nacional.

“Houve aquele impacto durante um a dois anos, mas felizmente essa autoestima já está acima e não se nota tanto. Vamos defender um título que é nosso e essa é a grande diferença de hoje para o passado. Depois, temos de aumentar os níveis de confiança, porque sabemos que é algo possível de ser alcançado e não apenas um sonho”, frisou o selecionador nacional, em declarações ao site oficial da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

A 10 de julho de 2016, no Stade de France, em Paris, Éder anotou o golo mais importante da história do futebol português, ao disparar aos 109 minutos da final frente à anfitriã França para oferecer o primeiro título de campeão europeu a Portugal, numa realidade que a equipa das quinas pode replicar se “não fizer ao contrário”.

“Isto é, antes era um sonho e duvidávamos se era possível torná-lo realidade e esse, provavelmente, era um dos nossos problemas. Agora, se voltarmos a pensar que é só um sonho e deixarmos de ter os pés no chão, de saber que para ganhar é preciso trabalhar muito, ter organização e qualidade e um grupo coeso, então já lá não chegamos”, avisou.

A pandemia de covid-19 adiou o Europeu de 2020 por um ano, para o período entre 11 de junho e 11 de julho de 2021, repartido por 12 nações diferentes, onde Fernando Santos acredita que Portugal não vai “abandonar as suas qualidades” e prosseguirá a “transformação natural” de uma seleção que arrecadou a edição inaugural da Liga das Nações em 2019.

“Se não achasse que tínhamos condições para ganhar, não teria aceite o convite do presidente [Fernando Gomes], que me deixou muito satisfeito, no sentido de ser o prolongamento de algo que começou e quer que se mantenha no seu mandato”, resumiu o selecionador, que estendeu, a 16 de junho, o vínculo com a FPF até 2024.

Após quatro anos como selecionador da Grécia, Fernando Santos, de 65 anos, abraçou o comando técnico luso em setembro de 2014 para render Paulo Bento, tendo adicionado dois troféus continentais, um terceiro lugar na Taça das Confederações de 2017 e a eliminação nos oitavos de final do Mundial 2018 aos pés do Uruguai (2-1).

Aportando um inédito estatuto de detentora do título, a seleção nacional qualificou-se para a fase final do Euro2020 e foi sorteada no "grupo da morte", em conjunto com a campeã mundial França, a Alemanha e um oponente oriundo dos "play-offs", numa série que será disputada entre a cidade germânica de Munique e a capital húngara Budapeste.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.