|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Transcrição policial revela que George Floyd avisou 20 vezes que não conseguia respirar

09 jul, 2020 - 08:40 • Lusa

"Vão matar-me, vão matar-me", disse o afro-americano, de 46 anos, ao polícia, que respondeu: "Pára de falar, pára de gritar, é preciso muito oxigénio para falar”.

A+ / A-

O afro-americano George Floyd, que foi morto pela polícia e provocou protestos raciais maciços nos Estados Unidos, avisou os agentes cerca de 20 vezes que não conseguia respirar, de acordo com uma transcrição policial divulgada, na quarta-feira.

A gravação foi feita através de uma câmara fixada na farda de Thomas Lane, um dos quatro polícias acusados no caso e cuja defesa está a tentar que as acusações contra ele sejam retiradas, apontando para o principal arguido, Derek Chauvin.

EUA. Houston presta última homenagem a George Floyd
EUA. Houston presta última homenagem a George Floyd

Até agora, os últimos minutos da vida de Floyd eram conhecidos graças a vídeos gravados por filmagens de pessoas, mas o documento fornecido por Lane mostra a cena, que ocorreu a 25 de maio em Minneapolis, de uma forma ainda mais dramática.

"Vão matar-me, vão matar-me", disse Floyd, de 46 anos, uma vez que a polícia o mandou prender e de bruços no chão, ao que Chauvin respondeu: "Pára de falar, pára de gritar, é preciso muito oxigénio para falar”.

Chauvin foi o agente que sufocou Floyd, ao pressionar o joelho contra o pescoço durante mais de oito minutos, durante os quais o afro-americano avisou que não conseguia respirar.

Aos lamentos desesperados, os agentes responderam com frases como "relaxa" (Tou Thao), "respira fundo" (Lane) ou "estás bem, estás a falar bem" (Alexander Kueng).

Na altura, Floyd também informou que tinha estado infetado com o novo coronavírus e que estava a ter dificuldades em respirar.

A certa altura, Lane perguntou a Chauvin - o mais experiente dos quatro polícias - se deviam virar Floyd para o lado, mas ele disse "não".

Lane insistiu que estava preocupado com a saúde de Floyd, uma vez que parecia estar sob a influência de alguma substância.

"Bem, é por isso que uma ambulância está a chegar", disse Chauvin, que não levantou o joelho do pescoço de Floyd até que um paramédico lhe disse para o fazer.

Chauvin é acusado de homicídio em segundo grau e homicídio involuntário em terceiro grau por matar Floyd, enquanto Lane, Thao e Kueng são acusados de cumplicidade e homicídio em segundo grau.

Lane, que saiu sob fiança de 750 mil dólares, argumentou que foi a sua primeira semana naquela força policial e que foi Chauvin quem tomou as decisões que levaram à morte de Floyd.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mew
    09 jul, 2020 16:52
    George Floyd told officers he 'can't breathe' nearly 30 times, newly released body cam transcripts show Joshua Bote USA TODAY Published 9:06 AM EDT Jul 9, 2020