Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus

Autoridades cavam valas comuns na Bolívia por causa da pandemia

04 jul, 2020 - 01:04 • Reuters

O número de casos na Bolívia aumentou a pique depois de o país ter implementado medidas de desconfinamento para salvar a economia.

A+ / A-

Veja também:


As autoridades locais na Bolívia começaram a cavar valas comuns para enterrar as vítimas da Covid-19.

A medida revela a forma como o país sul-americano se está a preparar para a próxima fase da pandemia, que já fez 1.200 mortos no país, num total de 35.500 casos positivos.

Os números de infeções na Bolívia é baixo em comparação com países vizinhos, como o Peru, Chile e Brasil, mas recentemente houve um novo pico de casos que está a sobrecarregar o sistema de saúde nacional em certas zonas.

Um exemplo é Cochabamba, uma cidade no centro da Bolívia que foi atingido com particular gravidade, e onde as vítimas de Covid-19 não têm sido sepultados, com mais de 135 corpos a aguardar enterro.

A medida de cavar valas comuns está a preocupar os residentes, que se preocupam que as valas comuns provoquem novas infeções nos bairros perto dos cemitérios.

A Bolívia teve o seu primeiro caso de coronavírus no dia 10 de março, mas o número de infeções aumentou a pique depois de o Governo ter começado a implementar medidas de desconfinamento para facilitar a retoma económica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.