|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus

Covid-19. Num dia fizeram-se 200 testes no aeroporto de Lisboa

03 jul, 2020 - 22:06 • Lusa

Passageiros vindos dos PALOP, Brasil e Estados Unidos só podem entrar com teste negativo. Autoridades de saúde têm feito exames a quem não o traz feito.

A+ / A-

Veja também:


Duzentos testes à Covid-19 foram realizados, nas últimas 24 horas, a passageiros no Aeroporto de Lisboa provenientes do Brasil, Estados Unidos e Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), afirmou esta sexta-feira a ministra da Saúde.

"Realizámos, nas últimas 24 horas, já duas centenas de testes", disse Marta Temido, durante a conferência de imprensa regular para atualizar a informação relativa à pandemia de covid-19.

Segundo a ministra, o INEM e o Instituto Nacional Ricardo Jorge têm estado a assegurar o apoio ao Aeroporto de Lisboa para a aplicação de testes à Covid-19 a passageiros dos PALOP, Brasil e Estados Unidos.

"No caso de os passageiros não trazerem um teste, essa falta é suprida no aeroporto", aclarou Marta Temido.

A medida surge na sequência do despacho aplicado a partir de 1 de julho sobre a circulação em transporte aéreo.

"Enquanto não temos a certeza de que [os passageiros] sejam portadores de teste negativo, estamos a complementar, para garantir que ninguém fica prejudicado", frisou Marta Temido.

Portugal regista esta sexta-feira mais 11 mortos devido à doença Covid-19 do que na quinta-feira e mais 374 infetados, dos quais 300 na Região de Lisboa e Vale do Tejo, divulgou a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o boletim epidemiológico diário da DGS, o número de mortos relacionados com esta doença respiratória infecciosa totalizou hoje 1.598, enquanto os casos de infeção confirmados desde o início da pandemia no país somam 43.156.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.