|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Revista de Imprensa

A vontade de Bruno Lage

01 jul, 2020 - 08:14 • Redação

Os três treinadores dos grandes dividem as manchetes dos jornais desportivos, esta quarta-feira.

A+ / A-

Bruno Lage está de saída do Benfica, mas, de acordo com o jornal "A Bola", a vontade do treinador era outra. O diário conta a história sobre os minutos que se seguiram à derrota com o Marítimo.

"Lage queria continuar", lê-se na manchete. Lage falou com o presidente do Benfica, colocou o lugar à disposição, mas não se demitiu. Surpreendido, já no aeroporto, com declarações do presidente na sala de imprensa. O treinador sentia que tinha condições para dar a volta.

"A Bola" revela, ainda, que há acordo para a rescisão. SAD assumirá ordenados até técnico encontrar clube. E se receber menos do que na Luz, o Benfica paga o remanescente. Veríssimo, adjunto de Lage, assume até nova solução.

Vieira quer treinador consagrado e Unai Emery surge como possibilidade, depois de Pochetinno ter recusado. Jorge Jesus continua a ser hipótese.

O "Record" faz manchete com outro treinador: "Líder Amorim". Nenhuma equipa somou tantos pontos como o treinador desde a sua estreia. O Sporting recebe o Gil Vicente, esta noite, às 21h15. Jovane e Acuña fora das opções. Os leões fecharam a renovação com Joelson.

"O Jogo" dedica maior destaque a Sérgio Conceição: "O 2.º maior vencedor do século". E entre todos os treinadores dos grandes, só Villas-Boas bate Sérgio em percentagem de vitórias.

A luta pelo acesso à Liga Europa tem chamada de primeira página no jornal da Global Media: "Safra de golos e UEFA a ferver". O Rio Ave venceu o Braga (4-3), o Vitória de Guimarães derrotou o Vitória de Setúbal (2-0) e o Famalicão perdeu em casa com Portimonense (0-1).

"A Bola" dá, ainda, destaque a Vítor Oliveira. O treinador está de saída do Gil Vicente, no final da temporada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.