|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Rui Gomes da Silva

Bruno Lage deixa o cargo, mas substitutos "só vão prejudicar o Benfica"

29 jun, 2020 - 21:58 • Eduardo Soares da Silva

Técnico colocou o lugar à disposição e o pedido foi aceite por Luís Filipe Vieira. Renato Paiva deverá assumir o comando técnico de forma interina, mas não há substitutos viáveis à vista, segundo o candidato à presidência do Benfica.

A+ / A-

Bruno Lage deixa o comando técnico do Benfica, depois de perder contra o Marítimo por 2-0 e ver cada vez mais diminuídas as possibilidades de ser campeão, mas não há qualquer "solução transitória que seja benéfica para o Benfica", segundo Rui Gomes da Silva.

O treinador de 44 anos que foi o obreiro da recuperação e do título da última temporada deixa o comando técnico da equipa depois de ter vencido apenas dois jogos nos últimos 13 jogos. Depois da retoma do campeonato, o Benfica apenas venceu o Rio Ave, perdeu os últimos dois jogos, e empatou contra Tondela e Portimonense.

Atualmente sem treinador, os próximos treinos do Benfica vão ser orientados por Renato Paiva, atual técnico da equipa B.

Rui Gomes da Silva, candidato à presidência do Benfica, não encontra soluções para o comando técnico da equipa, face ao momento da temporada, apenas com cinco jornadas e a final da Taça de Portugal por disputar.

"Neste momento, a cinco jornadas do fim, é muito difícil que alguém queira pegar na equipa numa situação transitória. Ou seja, o Benfica perdeu a época quando a programou. Qualquer solução transitória só vai prejudicar o Benfica", afirma, em declarações à Renascença.

Quem são as alternativas? Vários nomes têm sido associados ao cargo, desde Renato Paiva, que vai assumir a equipa de forma interina, a Marco Silva e Leonardo Jardim, que estão atualmente sem clube depois de terem deixado as posições no Everton e Mónaco, respetivamente. A nível internacional, Unai Emery, ex-Arsenal, Allegri, ex-Juventus, e Pochettino, ex-Tottenham, foram os nomes abordados pela imprensa.

Jogadores lado a lado com o treinador

Bruno Lage não marcou presença na sala de imprensa, depois da derrota, mas falou na "flash interview" da Sport TV e reiterou o apoio dos jogadores e da própria direção, instantes antes de ter apresentado o pedido de demissão.

"Os jogadores estão comigo, estamos todos no mesmo barco. Sinto o apoio de toda a gente, desde o primeiro dia até sempre. Sinto que todos querem que eu tenha sucesso no clube, o presidente e toda a estrutura", afirmou.

Rui Gomes da Silva vê uma contradição no discurso de Bruno Lage e no que o sucedeu, instantes depois, de Luís Filipe Vieira.

"O nosso treinador falou comigo no fim do jogo e colocou o seu luigar à disposição. Disse que não tinha condições para continuar. Disse que 'parece que todos querem que eu saia, a partir de amanhã não sou treinador do Benfica", disse Vieira.

O candidato acredita que algo se passou no período entre a saída do relvado e a conferência de imprensa: "Há uma contradição. Pizzi e o treinador disseram na 'flash' que sentiam que todos estavam com ele. Depois, o presidente vai para a conferência de imprensa dizer que ele apresentou demissão. Alguma coisa se passou desde a saída do relvado e a conferência de imprensa".

Semana de "incompetência na gestão desportiva"

A saída de Bruno Lage esteve iminente durante toda a semana, de acordo com a imprensa desportiva, depois da derrota na última jornada, em casa, contra o Santa Clara, por 4-3.

Depois de uma reunião entre a direção e o treinador, Bruno Lage terá ficado no cargo pelo menos até esta partida na Madeira, sendo que a derrota terá selado o destino do técnico.

"Foi uma semana catastrófica para o Benfica. Teve uma reunião com o treinador, pediu-lhe para sair, o treinador disse que não queria e o presidente fez de conta que isso é o que melhor defende os interesses do Benfica. É inadmissível, inexplicável para os interesses do clube. Foram todos para a Madeira depois de uma reunião que não deve ter sido simpática", diz.

Sobre possíveis substitutos, Rui Gomes da Silva deixa a decisão para a atual direção: "O presidente é que tem de tomar a decisão, depois de se meter neste caminho sem fim e sem retorno. O que se passou esta semana vai para os compêndios da péssima gestão desportiva e da incompetência. Uma gestão feita por impulsos e não por raciocínios lógicos".

O que resta ao Benfica na luta pelo título?

Depois desta jornada, o Benfica continua com 64 pontos e precisa de esperar que o FC Porto perca pontos em três jogos, visto que, em caso de empate, a equipa de Sérgio Conceição tem vantagem no confronto direto, depois de ter vencido o Benfica no Estádio da Luz, por 2-0, e no Dragão, por 3-2.

Os dragões ainda vão ter de receber o Sporting, na 32ª jornada e ir até casa do Braga, na última jornada da I Liga.

Já o Benfica ainda terá de ir até ao terreno do Famalicão e receber o Vitória de Guimarães e o Sporting, na última jornada do campeonato, sem se saber quem estará no banco de suplentes.

Rui Gomes da Silva acredita que será muito difícil o FC Porto perder tantos pontos até ao fim da época, apesar de manter alguma esperança enquanto for matematicamente possível.

"Se o Benfica ganhasse, seria mais fácil. Mas a cinco jogos do fim, a seis pontos, com o Porto a poder perder dois jogos, fica muito difícil. Pode perder com o Braga e o Sporting e é campeão. Nós acreditamos sempre, o ano passado foi prova disso. Mas também acreditamos no ano do penta e a gestão desportiva levou a que perdessemos como perdemos", diz.

Eleições antecipadas à vista

Luís Filipe Vieira também terá dado a entender que se pode demitir do cargo de presidente e forçar eleições antecipadas. Rui Gomes da Silva acredita que essa é a intenção do presidente.

"O presidente quer ir para eleições antecipadas, e vamos. Tenho uma equipa série e credível. Tenho a equipa e a máquina pronta. Vamos para eleições democráticas e com transparência. Tenho uma equipa com credibilidade e seriedade pronta", diz.

As eleições estão marcadas para outubro e já com três candidatos anunciados: Rui Gomes da Silva, Bruno Costa Carvalho e Ricardo Martins Pereira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • A Culpa é do
    30 jun, 2020 Luís Filipe Vieira 09:31
    Esta época foi-se, sem honra nem Glória, e mesmo a final da Taça, com a equipa a jogar como está e debilidades conhecidas por todos e que nunca foram resolvidas, não parece que esteja ao alcance desta equipa do SLB mesmo considerando que o fcp também não está a jogar grande coisa. Enfim, se isto tudo servir para mudar a presidência do SLB, então ... Já não se perdeu tudo.
  • Petervlg
    30 jun, 2020 Trofa 09:00
    Deveria existir coragem e sair uns quantos jogadores, Bruno Lage deve ficar. temos uma equipa B,