|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Ranking das escolas 2019

Coimbra e Anadia garantem percursos de sucesso

24 jun, 2020 - 21:10 • Fátima Casanova

Das 550 instituições de ensino, só 18,5% conseguiram que metade ou mais dos seus alunos fizessem um percurso sem chumbos nos três anos de estudos.

A+ / A-

Veja também:


Menos de um quinto das escolas conseguiram que metade ou mais dos seus alunos não reprovasse nos três anos do ensino secundário. De acordo com os dados fornecidos pelo Ministério da Educação, das 550 instituições tidas em conta, só 102 escolas públicas e privadas conseguiram que metade ou mais dos seus alunos terminasse o secundário sem chumbar no 10.º e 11.º anos e com nota positiva nos dois exames trienais do 12.º ano.

Entre essas escolas estão 56 privadas e são elas que ocupam os primeiros 25 lugares, com o Colégio da Rainha Santa Isabel, em Coimbra, a garantir o maior número de alunos (86,4%) sem chumbos no ensino secundário.

Também está em Coimbra a escola pública com maior percentagem de percursos diretos de sucesso. Trata-se da Escola Secundária Infanta D. Maria, que conseguiu que 68,5% dos seus alunos fizessem um percurso sem chumbos no ensino secundário.

Num universo de 550 instituições, estas são uma minoria. Apenas 18,5% conseguiram garantir um percurso de sucesso a mais de metade dos seus alunos.

Em 67 escolas, apenas um quarto dos alunos conseguiu fazer o ensino secundário sem chumbos. Entre elas estão seis privadas.

Anadia é o concelho com menos chumbos no secundário


Segundo os dados disponibilizados pelo Ministério da Educação, foi o concelho de Anadia, no distrito de Aveiro, que garantiu mais percursos de sucesso aos seus alunos. 59,2% dos alunos que frequentaram os estabelecimentos de ensino deste concelho terminaram o ensino secundário livre de chumbos e com nota positiva nos dois exames trienais do 12.º ano.

Dos 19 concelhos deste distrito, também Vale de Cambra conseguiu garantir que mais de metade dos seus alunos (51,6%), fizessem um percurso livre de chumbos.

Entre os concelhos do continente, que mais se destacaram, figura também Aguiar da Beira, que tem um lugar no Top 5 ao conseguir que 55,6% dos alunos fizessem o secundário em três anos. Este concelho é o único entre os 14 do distrito da Guarda, que conseguiu garantir um percurso de sucesso a mais de metade dos seus alunos. Oito concelhos não conseguiram sequer que 40% dos seus alunos tivessem percursos diretos de sucesso.

De notar ainda que dos 245 concelhos do continente na base de dados do Infoescolas, apenas 18 garantiram percursos de sucesso a mais de metade dos seus alunos, todos na região Centro e Norte. Um deles, no entanto, ficou aquém do esperado, tendo em conta a média nacional para alunos com desempenho escolar semelhante à entrada do 10.º ano. Trata-se do concelho de Arruda dos Vinhos, no distrito de Lisboa, onde os alunos progrediram menos 6,1% do que os seus colegas nacionais.

De destacar ainda que os três concelhos onde os alunos tiveram menos sucesso ficam no distrito de Leiria. Em Alvaiázere, Nazaré e Óbidos, apenas cerca de um quarto dos alunos nunca reprovou. Comparando com outros alunos do país com nível escolar semelhante à entrada para o 10.º ano, estes concelhos ficam 11 pontos percentuais abaixo da média nacional.

Olhando só para os concelhos que asseguraram maior desempenho dos alunos comparando com a média nacional, a tabela é liderada por S. João da Pesqueira, no distrito de Viseu. 16,2% é a diferença entre os percursos de sucesso dos alunos deste concelho (48,5%), e os restantes alunos do país com um nível escolar semelhante no final do 9.º ano.

De destacar ainda, que o concelho do Sardoal é o único que figura no top 5 dos concelhos que mais puxaram pelos alunos quer do secundário, quer do 3.º ciclo do ensino básico.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.