|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19 em Lisboa

Feiras da Ladra, do Relógio e das Galinheiras suspensas

25 jun, 2020 - 11:13 • Celso Paiva Sol , Marta Grosso

É mais um passo atrás na sequência do surto de Covid-19 no concelho e na região de Lisboa e Vale do Tejo.

A+ / A-

Veja também:


Estão suspensas, a partir desta quinta-feira, as feiras do Relógio, da Ladra, e das Galinheiras, em Lisboa.

A decisão foi tomada pela Câmara Municipal de Lisboa, na sequência da resolução do Conselho de Ministros, que impõe novas restrições nalgumas freguesias da Região de Lisboa e Vale do Tejo.

“Em sequência da resolução nº 45-B/2020 do Conselho de Ministros, de 22 de junho, está interdita a realização de feiras na área do Município de Lisboa”, indica o comunicado enviado à Renascença.

“Esta medida implica o cancelamento das feiras do Relógio, da Ladra e das Galinheiras”, acrescenta.

A suspensão irá vigorar até indicação em contrário, depois de “nova avaliação”.

Face ao aumento de casos, o Governo admite voltar ao dever cívico de recolhimento obrigatório em 19 freguesias na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT), avança o jornal “Público” nesta quinta-feira.

Segundo o jornal, a medida poderá ser aprovada na reunião de hoje do Conselho de Ministros.

Na quarta-feira, à Renascença, o infeccionlogista Fernando Maltez dizia que a situação em Lisboa estava fora de controlo, mas que pode ser revertida. Mais tarde, depois da reunião no Infarmed, o Presidente da República recusou que houvesse descontrolo na região.

Marcelo garante que Portugal tem “adotado a metodologia da verdade” e defende "medidas específicas" e "atuação rápida" para travar a Covid-19 em Lisboa.

Segundo o deputado social-democrata Ricardo Batista Leite, que também esteve na reunião no Infarmed, o número de casos na região LVT é “a representação de uma segunda onda” da doença.

“De acordo com os técnicos do grupo de epidemiologia da Direção-Geral da Saúde, a situação que estamos a viver, particularmente na região de Lisboa e Vale do Tejo, é – nas palavras deles – a representação de uma segunda onda da Covid-19 e o aumento do número de casos que estamos a verifica não é só o resultado do aumento da testagem veiculada nos últimos dias”, declarou aos jornalistas.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Camponio da beira
    25 jun, 2020 Viseu 11:59
    Mudem o nome da Feira da Ladra para feira da Foice e Martelo....aprendam a viver.