Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Saiba quais são os países em que os portugueses não podem entrar

18 jun, 2020 - 15:47 • João Carlos Malta

A União Europeia volta a abrir fronteiras, mas, ainda assim, com bastantes limitações. As regras são muito diferentes entre Estados-membros. Quem, em Portugal, pensar em ir para fora neste verão terá de olhar com atenção para as restrições que alguns países fazem aos turistas nacionais.

A+ / A-

Veja também:


O processo de reabertura das fronteiras na Europa está a acontecer faseadamente e com muitas regras diferentes. No que diz respeito aos portugueses estarão, por enquanto, impedidos de entrar, pelo menos, em sete países. Há ainda outros que vão obrigar a quarentenas de 14 dias antes de permitirem a entrada de turistas nacionais.

Áustria, Dinamarca, Lituânia, Hungria, ilha de Chipre, Letónia, e Eslovénia são entre os 27 Estados-membros aqueles em que os portugueses não podem entrar, por não cumprirem os requisitos que as autoridades de saúde locais exigem.

Em alguns casos, deve-se ao facto de colocarem o risco de Portugal num patamar mais elevado do que outros países da União Europeia, no que à transmissão da doença diz respeito, e noutros porque o número de infetados por 100 mil habitantes supera o número determinado pelas autoridades competentes.

Todos estes dados podem ser consultados a par e passo, bem como as mudanças que forem ocorrendo, no site Re-open EU, um portal criado pela Comissão Europeia para ajudar a planear viagens dentro do continente.

Há ainda países como Malta que vão abrir progressivamente as fronteiras. Até 30 de junho, não haverá entradas no principado. O aeroporto local vai reabrir a 1 de julho, mas apenas para alguns países. Quinze dias depois, todas as restrições caem e passa a ser livre a entrada no país.

Há ainda uma terceira modalidade de países como a Lituânia, a Estónia ou a Roménia, nos quais os turistas nacionais são obrigados a uma quarentena de 14 dias. Estes países põem limitações à entrada de nacionais em que os países superem taxas de infeção diárias superiores a 15 ou 25 por cada 100 mil habitantes.

Há ainda o caso da Grécia, que até 30 de junho testa todos os que chegarem ao país através de testes de zaragatoa.

No caso de Espanha, Portugal, depois de todos os atropelos diplomáticos, fixou o dia 1 de julho para a reabertura da sua única fronteira terrestre.

Há ainda uma particularidade nacional, as fronteiras da União Europeia reabrem quase exclusivamente para europeus, mas Portugal é uma das raras exceções que vai permitir a entrada de cidadãos que vêm do Brasil ou os Estados Unidos.

São locais em que há uma vasta comunidade portuguesa, mas onde a pandemia está longe de estar controlada. Por isso mesmo, o primeiro-ministro, António Costa, já prometeu reverter a autorização a quem venha do Brasil, se a União Europeia criar uma determinação nesse sentido.

A maioria dos Estados-membros manteve o conselho da UE de manter a proibição de viagens, que não sejam essenciais, por parte de países terceiros até 30 de junho.

Até à data, há nove países que levantaram as proibições de entrada para cidadãos da UE, para efeitos de turismo, entre eles está Portugal, mas também a Suécia, a Alemanha, a Polónia, o Luxemburgo, a França, a Croácia, a Itália e a Bélgica. Na Grécia a entrada é permitida, mas há a possibilidade de haver necessidade de realizar um teste aleatório.

Estes dados mostram ainda que há países sem restrições para qualquer país da UE como é o caso da Alemanha, Reino Unido ou Suécia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 27 jul, 2020 15:40
    Os portugueses podem viajar para o Brasil
  • Ivo Pestana
    19 jun, 2020 Funchal 15:07
    E bem. Cada país sabe o que é melhor para os seus povos. Bravo.
  • José J C Cruz Pinto
    19 jun, 2020 Ílhavo 09:46
    (1) "Áustria, Dinamarca, Lituânia, Hungria, Chipre, Letónia, e Eslovénia são entre os 27 Estados-membros aqueles em que os portugueses não podem entrar, por não cumprirem os requisitos que as autoridades de saúde locais exigem." (2) "Em alguns casos, deve-se ao facto de colocarem o risco de Portugal num patamar mais elevado do que o de outros países da União Europeia, ... (3) "Há ainda o caso da Grécia, que até 30 de junho testa todos os que chegarem ao país através de testes de zaragatoa." (4) ... Portugal é uma das raras excepções que vai permitir a entrada de cidadãos que vêm do Brasil ou dos Estados Unidos." É este o caso de sucesso na Europa e no mundo? E admiram-se de que o sucesso seja tão enorme e evidente, quando damos entrada livre a pessoas provenientes dos dois países onde a paranóia e a pandemia está totalmente descontrolada (cf. 4 acima)? Bom, e quanto à praga dos parasitas do futebol, fiquei e estou ainda, não estupefacto, com é agora moda, mas ENVERGONHADO por ver as mais altas figuras do Estado exporem Portugal ao RIDÍCULO de, não só insistirem na proclamação de um sucesso inexistente, ou pelo menos duvidoso, mas de se vangloriarem (em cerimónia pública e solene) da vinda por uns dias de uns jogos de "coice na bola" para o País (e para a sua região mais afectada pela pandemia), com a agravante de ser dada rédea solta à pressões para a possibilidade de haver público nos estádios!