|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Médio Oriente

Novas sanções dos EUA visam “matar à fome” a Síria e o Líbano, diz Hezbollah

16 jun, 2020 - 21:47 • Filipe d'Avillez com Lusa

O Hezbollah é uma das principais forças políticas e militares do Médio Oriente, nomeadamente na região do Levante, que inclui o Líbano e a Síria.

A+ / A-

O líder do movimento Hezbollah, no Líbano, disse esta terça-feira que as novas sanções dos Estados Unidos, previstas entrarem em vigor quarta-feira, têm como objetivo “matar à fome” a Síria, em guerra, e o vizinho Líbano.

As novas sanções, criticadas por Hassan Nasrallah, responsável do Hezbollah e aliado do Governo sírio, estão previstas na “lei César”.

"A lei César (...) visa matar à fome o Líbano, tal como visa matar à fome a Síria", acusou Nasrallah, numa comunicação transmitida pela televisão.

Nasrallah considera a lei em questão como "a última arma" dos Estados Unidos contra o poder de Damasco.

O Hezbollah é a principal força política no Líbano, mas possui também o seu próprio exército, que é visto como mais poderoso do que o próprio exército libanês. O movimento, uma das principais forças políticas e militares do Levante, representa a comunidade xiita no Líbano e é aliada das outras forças xiitas da região, incluindo o regime do Irão e o regime de Bashar Al-Assad, na Síria.

Desde os primeiros anos da guerra na Síria, que está agora no seu 10.º ano, militares do Hezbollah envolveram-se no conflito para apoiar as forças do regime.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.