|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus

Não estão em cima da mesa “medidas mais restritivas” em Lisboa e Vale do Tejo

06 jun, 2020 - 15:26

Os surtos na região de Lisboa não se devem ao desconfinamento e concentram-se sobretudo entre jovens.

A+ / A-

Veja também:


A ministra da Saúde garante que não está em cima da mesa a imposição de medidas restritivas para a região de Lisboa e Vale do Tejo, perante o aumento de casos.

Questionada sobre o assunto este sábado de manhã, na Conferência de Imprensa da DGS, Marta Temido disse que se tratam de situações específicas, que não têm a ver com o desconfinamento, pelo que não se justifica voltar atrás nesta matéria.

“Isso não está em cima da mesa. Estes focos não estarão relacionados com o desconfinamento, mas antes com atividades que sempre se realizarem, com pessoas que sempre estiveram a trabalhar e apenas sugerem um atraso na incidência da doença em Lisboa e Vale do Tejo.”

O aumento dos números deve-se ainda ao facto de estar a ser feita uma campanha de testes em larga escala na região. “Alargámos extraordinariamente e deliberadamente os testes e por isso estamos a encontrar mais casos”, diz Marta Temido, que acrescentou que é natural que os números de infetados continuem a crescer nos próximos dias.

Contudo, estes casos são na esmagadora maioria entre pessoas que não levantam grandes preocupações em termos de saúde.

“Encontramos uma percentagem de 30% de assintomáticos e mais de 50% entre os 20 e os 49 anos. São faixas que sugerem uma saúde pública específica e de precisão”, garante.

A conferencia de imprensa da DGS, que este sábado contou com a presença de Marta Temido e de Graça Freitas, começou com significativo atraso e sem dados oficiais, devido a dificuldades informáticas por parte da direção-geral.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.