|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Reino Unido

Mulheres da linha da frente no combate à Covid-19 são capa da Vogue britânica

03 jun, 2020 - 09:11 • Sofia Freitas Moreira

“Este momento da história pedia algo especial, um momento de agradecimento à nova linha da frente”, explica Edward Enninful, chefe de redação da revista britânica.

A+ / A-

Três trabalhadoras na linha frente do combate à Covid-19 vão aparecer na capa de julho da Vogue britânica.

As três mulheres - uma maquinista de comboios, uma parteira e uma funcionária de um supermercado - foram fotografadas por Jamie Hawkesworth e vão aparecer numa edição especial da revista de moda.

“Elas representam as milhões de pessoas no Reino Unido que, no pico da pandemia, vestiram os seus uniformes e ajudaram”, explica à BBC Edward Enninful, chefe de redação da Vogue britânica.

“Este momento da história pedia algo especial, um momento de agradecimento à nova linha da frente.”

Rachel Millar, uma jovem parteira de 24 anos que trabalha num hospital londrino, diz que a estreia no mundo mediático é surreal. “Recebi imensos comentários positivos e acho que as pessoas gostaram de ver alguém do Serviço Nacional de Saúde na capa da revista”, descreve à BBC.

Para Narguis Horsford, funcionária dos Transportes de Londres há dez anos, a oportunidade de celebrar as mulheres da linha da frente “é muito importante”.

Conta que, inicialmente, se sentia nervosa ao sair de casa para ir trabalhar no meio da pandemia da Covid-19, mas que, agora, se sente orgulhosa do esforço que fez.

“Tenho orgulho em ser uma trabalhadora essencial e tenho orgulho em ser maquinista de comboios, por poder levar todos estes trabalhadores importantes aos seus trabalhos”.

Anisa Omar, funcionária de um supermercado, também vai aparecer na edição de julho da revista. A jovem de 21 anos conta que a pandemia lhe permitiu reconhecer a importância do trabalho que faz.

“Agora somos importantes. Temos de estar aqui, independentemente daquilo que está a acontecer no mundo. É mais do que um mero trabalho agora”, conta Anisa à BBC.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.