|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Rutura de conduta arrasta carros em Vila Franca de Xira

03 jun, 2020 - 15:21 • José Carlos Silva , com Lusa

O rebentamento da conduta aconteceu numa zona alta de Vila Franca e a água chegou à baixa da cidade. Três ruas estão cortadas ao trânsito.

A+ / A-

A rutura de uma conduta em Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa, provocou esta quarta-feira à tarde estragos em viaturas que foram arrastadas pelas águas, segundo testemunhas oculares. Três ruas no centro da cidade foram cortadas ao trânsito.

De acordo com fonte do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP, a Rua António Sérgio, a Estrada Monte Gordo e a Rua Soeiro Pereira Gomes estão totalmente cortadas ao trânsito.

O Cometlis referiu que o alerta para ocorrência foi dado às 14h37.

Os Bombeiros Voluntários de Vila Franca de Xira confirmaram a ocorrência. Indicam que terá sido não muito longe do quartel dos soldados da paz, que fica situado na Avenida dos Bombeiros Voluntários.

A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira disse que se trata de uma conduta da Empresa Portuguesa das Águas Livres (EPAL) que rompeu.

“Foi uma conduta da EPAL que rebentou e neste momento já está fechada”, afirmou, pelas 15:50. Segundo a autarquia, existem vários meios mobilizados para o local.

“A água já não está a correr. Agora vai ser necessário fazer todo um trabalho de limpeza das vias e de reparação da própria conduta”, disse, ressalvando que não saber quando estará concluída a reparação.

O abastecimento de água já se encontra regularizado na zona, indicou a EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram a torrente de água e lama a descer por uma rua da cidade, provocando inundações e estragos em viaturas.

O rebentamento da conduta aconteceu numa zona alta de Vila Franca e a água chegou à baixa da cidade.

[notícia atualizada às 19h01]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.