França

Paris. Manifestação contra racismo e violência policial termina em confrontos

03 jun, 2020 - 08:11 • Sofia Freitas Moreira (edição) Reuters (imagens)

Paris saiu às ruas, na terça-feira, numa manifestação não autorizada contra a violência policial e a injustiça racial. O protesto terminou em confrontos, com os manifestantes a lançarem projéteis e a atearem fogos. Por sua vez, a polícia disparou gás lacrimogéneo contra a multidão de 20 mil pessoas. A manifestação foi convocada pelo coletivo "La Vérité pour Adama" (A verdade por Adama), em homenagem a Adama Traoré, um jovem negro de 24 anos que morreu durante uma detenção, em 2016. Na terça-feira à tarde, os advogados da família apresentaram as conclusões de um novo relatório médico que atribui a morte do jovem à polícia.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
As Três da Manhã
Gráfico de novos casos, segundo dados da DGS, 12 julho de 2020. Gráfico Sofia Moreira/RR

Covid-19

Relatório DGS. Mais seis mortos e 291 infetados

O total de mortos em Portugal é agora de 1660.

bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, visita ao Hospital de S. João, Porto 18JUN2020 Foto: José Coelho/Lusa

Médicos apelam a ação judicial para defesa de doentes em lar de Reguengos de Monsaraz

Segundo a Ordem dos Médicos, "o caso merece uma participação ao Ministério Público", e dada a sua "gravidade excecional", decidiu designar uma comissão de inquérito para "avaliar todas as circunstâncias clínicas".

Reportagem
Eu Eleitor hyper

Eu, eleitor

Retratos do país que vota

Que país é este que vai às urnas? Até às eleições legislativas, a Renascença apresenta retratos de 18 eleitores dos círculos eleitorais de Portugal continental, olhando as características e dificuldades de cada distrito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.