Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Lisboa e Vale do Tejo continua como a região com maior queda do consumo

02 jun, 2020 - 16:47 • Lusa

De acordo com a empresa gestora da rede Multibanco, na semana de 25 a 31 de maio, a frequência de compras físicas na região de Lisboa ficou em 73 pontos da frequência média pré-covid, sendo a referência o valor 100. No Norte, a frequência média está em 84 pontos da média antes do primeiro caso da doença, no Centro e no Algarve em 90 pontos, nos Açores em 93 e na Madeira em 85.

A+ / A-

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a região que regista maior queda do consumo desde que foi registado o primeiro caso de covid-19 em Portugal, segundo os dados divulgados esrta terça-feira pela SIBS.

De acordo com a empresa gestora da rede Multibanco, na semana de 25 a 31 de maio, a quarta semana de desconfinamento, a frequência de compras físicas na região de Lisboa ficou em 73 pontos da frequência média pré-covid (sendo a referência o valor 100, equivalente à média diária antes do primeiro caso de covid-19, em 2 de março).

No Norte, a frequência média está em 84 pontos da média antes do primeiro caso da doença, no Centro e no Algarve em 90 pontos, nos Açores em 93 pontos e na Madeira em 85 pontos.

No Alentejo, por outro lado, o consumo em loja ultrapassou mesmo a frequência de compras antes do aparecimento do primeiro caso em Portugal, segundo a SIBS, que indica que na semana de 25 a 31 de maio o número médio de compras físicas no Alentejo ficou em 105, ou seja, cinco pontos acima do número médio de compras antes da covid-19.

No total do país, a média de compras em loja está em 82 pontos face ao período pré-pandemia, mais sete pontos do que os registados (75) na semana de 18 a 24 de maio.

Já as compras 'online' ficaram, na semana de 25 a 31 de maio, em 96 pontos face ao que era registado antes do primeiro caso registado de covid-19 em Portugal, acima dos 89 pintos da semana de 18 a 24 de maio.

Quanto ao valor gasto por cada compra na rede Multibanco, na semana de 25 a 31 de maio a média manteve-se inalterada face à semana anterior, nos 37,8 euros. Já nas compras ‘online’, o valor médio cresceu de 40,2 euros para 40,9 euros. Em ambos os casos, os valores estão acima da média do período antes da pandemia.

Sobre o MB Way, a SIBS indica que, de 25 a 31 de maio, a média de compras em loja através desta plataforma de pagamentos ficou 90% acima da média anterior ao início da pandemia, praticamente duplicando a frequência de utilização.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.