|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Brasil

Protesto de claques contra Bolsonaro acaba em confrontos em São Paulo

31 mai, 2020 - 20:31 • Filipe d'Avillez

Grupos representativos das claques dos principais clubes paulistas envolveram-se em confrontos com manifestantes pro-Bolsonaro e também com a Polícia Militar.

A+ / A-

Uma manifestação contra Bolsonaro, e a favor da democracia, terminou em confrontos este domingo, no Brasil.

A manifestação convocada para a Avenida Paulista juntou representantes das principais claques de clubes de São Paulo, que ultrapassaram a sua habitual rivalidade para se unirem contra o Presidente brasileiro.

Os Gaviões da Fiel, o grupo de adeptos organizados do Corinthians, e considerada uma das maiores claques de futebol do mundo, organizou o protesto e a maioria dos presentes seriam corinthianos, segundo o jornal “Folha de São Paulo”, mas havia também grupos representantes do Palmeiras, do Santos e do São Paulo.

Do outro lado estava um grupo mais pequeno de defensores do Presidente que têm aproveitado para se reunir na Avenida Paulista todos os domingos, gritando palavras de apoio ao chefe de Estado e pedindo o fim do confinamento por causa da Covid. A polícia esteve presente e montou um cordão para proteger os defensores do Presidente.

Segundo a “Folha de São Paulo” a confusão começou quando, já no final, a polícia escoltou um grupo de apoiantes de Bolsonaro que passou muito perto dos seus opositores. Segundo algumas testemunhas, alguns desses apoiantes estariam a envergar roupa alusiva a grupos de extrema-direita, o que motivou uma reação.

Os confrontos passaram então a ser com a Polícia Militar, que recorreu a balas de borracha e gás lacrimogéneo, com os grupos de adeptos a responder com o lançamento de pedras e outros objetos e a montar barricadas na avenida, pegando-lhes fogo, à medida que recuava.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.