|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​Nazaré fora do sítio

29 mai, 2020 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Jornais dão conta da inesperada saída de Luis Nazaré do cargo de presidente da Assembleia Geral, que ocupava há uma década.

A menos de uma semana do recomeço do campeonato há temas especiais a suscitar atenção, sem que no entanto tenham a ver com a competição propriamente dita.

Claro que voltar ao jogo é fundamental: antes de tudo é necessário definir quais os clubes que vão apurar-se para as provas da UEFA do próximo ano e, também importante, para que seja possível o regresso das indispensáveis verbas provenientes das receitas colhidas das operadoras de televisão.

É assim como que um não deixar desligar o ventilador para que os nossos principais clubes possam continuar a respirar. Artificialmente, mas a respirar.

Estamos, no entanto, em ano de dois importantes atos eleitorais, um daqui a poucos dias nas instalações do Dragão, o outro na Luz, parecendo não ser muito difícil, em ambos os casos, prognosticar os desfechos. A norte, Pinto da Costa tem à vista mais uma recandidatura mas, como escrevíamos ontem, sem o fulgor de outros atos eleitorais do passado.

Até alguns dos prosélitos mais próximos de Pinto da Costa deixam soltar lamentos e desconfianças por entenderem que o caminho ultimamente percorrido não tem sido o melhor, e que, ao mesmo tempo, não existem indícios das mudanças que parecem ser mais apropriadas ao desenho do futuro dos dragões.

A sul, Luis Filipe Vieira continua a navegar também no mar da tranquilidade, não obstante alguns ciscos lhe terem saltado para os olhos. O mais recente, cheira mesmo a fresco, e refere a saída inesperada de Luis Nazaré do cargo de presidente da Assembleia Geral, que vinha ocupando há uma década.

Nazaré justifica para o seu abandono a incompatibilidade insuperável em relação ao formato proposto pela direção relativamente às próximas assembleias gerais do clube. Porém, fica por se saber se o demissionário líder da AG assenta a sua escusa em motivos muito fundamentados, ou se encontrou aqui apenas um pretexto para dar com a porta de saída.

Benfica e FC Porto dividem, pois, as manchetes, embora não por aquilo que é, neste momento, fundamental: o regresso da primeira Liga, e as incertezas e desconfianças quanto à retoma, que ainda não desapareceram do horizonte.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ricardo Martins
    29 mai, 2020 Lisboa 13:52
    A azia é tão grande com a absolvição de BRUNO DE CARVALHO que teve , que ir buscar a demissão duma figura de 3ª linha do Carnide para ter tema .