Tempo
|
A+ / A-

Bairro da Jamaica. “Tinha conhecimento de alguns casos de Covid, não tinha de 16”

26 mai, 2020 - 23:02 • Pedro Mesquita

Vanusa Coxi, da associação de desenvolvimento local, refere que alguns dos infetados com o novo coronavírus não moram no bairro.

A+ / A-

Veja também:


Foi com surpresa que Vanusa Coxi, da Associação de Desenvolvimento Social de Vale de Chicharos, ouviu falar de um surto de Covid-19 no seu bairro, o da Jamaica.

Vanusa Coxi admitia um caso ou outro, mas não esperava 16. Provavelmente, diz à Renascença, a maioria dos infetados nem reside ali.

"Eu tinha conhecimento de alguns, não tinha de 16. O que eu sei é que há coisa de uma semana, uma semana e meia, houve alguns jovens que realmente começaram a fazer testes e deram positivo. Só que alguns dos jovens a quem fizeram testes, aqui mesmo no bairro, nem sequer residem aqui. Daí a minha surpresa ao ouvir falar em 16 casos. Eu não tinha conhecimentos disso", referiu.

Quanto aos procedimentos, nos casos de Covid-19 de que tomou conhecimento, foram semelhantes aos de qualquer outro do país. "Creio que é o normal. Fizeram os testes - pelo menos dois, que vivam mesmo aqui. Ficaram de quarentena. Eles e as pessoas com quem conviveram, os irmãos, por exemplo, estão de quarentena”.

A responsável da Associação de Desenvolvimento Social de Vale de Chicharos acrescenta que “foram fazer o teste, deu positivo e estão de quarentena. Creio que agora estão a ser vigiados pela DGS, como costumam fazer. Ligam às pessoas, para saber delas”.

“Não tenho conhecimento de que alguém tenha ido para o hospital, ou algo do género", disse.

Mas agora que se fala de um surto, Vanusa Coxi admite que o melhor mesmo é fazer mais testes no bairro.

"Do meu ponto de vista, realmente, talvez fosse bom [fazer mais testes]. Vem muita gente para aqui, de fora. As festas - e tudo o mais - são feitas com mais gente de fora do que, propriamente, com gente do bairro. Claro que, depois, também vai depender de cada um, se quer fazer o teste, ou não. Mas, do meu ponto de vista, creio que fazer o teste de uma forma generalizada seria bom".

Seja como for, Vanusa diz que os jovens que ali moram têm agora mais cuidadosos do que no início. Já usam máscara quando saem de casa e lavam frequentemente as mãos com gel. No início eram só as pessoas mais velhas que tinham esses cuidados, reconhece.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.