|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Câmara do Seixal lamenta não ter recebido dados sobre origem e evolução dos casos de Covid-19

26 mai, 2020 - 22:31 • Redação

Autarquia reage assim às notícias do foco da doença no Bairro da Jamaica. Por isso, pede mais informação e mais coordenação do Governo.

A+ / A-

Veja também:


A Câmara do Seixal acusa a Unidade de Saúde Pública de Almada e Seixal de não ter facultado a informação pedida sobre a origem e evolução dos novos casos de Covid-19 no concelho - de forma a poder ajudar na contenção.

Em resposta enviada à Renascença, na sequência do foco de Covid-19, em Vale de Chícharos, conhecido como Bairro da Jamaica, a autarquia garante ter manifestado total disponibilidade para intervir de acordo com o que a Unidade de Saúde Pública considerasse necessário.

Diz ter sido informada pelas autoridades sanitárias da intenção de apertar as regras no terreno.

A autarquia lamenta que tenha conhecimento da atual situação pelos media. E pede mais informação e coordenação ao Governo. Já solicitou com urgência uma reunião à Ministra da Saúde e à Unidade de Saúde Pública local.

Esta terça-feira, a Diretora-Geral da Saúde afirmou que a situação na região de Lisboa "é complexa" e que há três focos de Covid-19 na margem Sul do Tejo, um deles no bairro da Jamaica, no Seixal.

Leia o comunicado da Câmara do Seixal na integra:

"Tendo em conta as notícias que surgiram hoje sobre um foco de Covid-19 em Vale de Chícharos, a Câmara Municipal do Seixal esclarece que:

O Município do Seixal solicitou à Unidade de Saúde Pública de Almada e Seixal que lhe fosse prestada a informação sobre a origem dos novos casos que surgem no concelho e a sua evolução, de modo a poder ajudar na sua contenção. Lamentamos que essa informação não tenha sido facultada ao Município e às instituições que estão na linha da frente e que depois seja conhecida através da comunicação social. Não nos parece que esta seja a melhor forma de combatermos esta pandemia.

A 14 de maio
Na reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil, as autoridades de saúde informaram a Autarquia da existência de alguns casos de moradores do bairro que teriam contraído o vírus numa festa na Aroeira (Almada) em que participaram vários jovens de diversos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa, nos dias 1, 2 e 3 de maio.

A 15 de maio
As autoridades de saúde solicitaram a colaboração da Câmara Municipal do Seixal para a realização de ações de sensibilização em Vale de Chícharos, na Amora e em Santa Marta, em Corroios.

A 16 de maio
Nos dias 16 maio e 18 de maio as equipas da Câmara Municipal bem como de outras entidades que estão na linha da frente do combate à Covid-19, nomeadamente a PSP, estiveram nestas localidades, respondendo à solicitação das autoridades de saúde, esclarecendo e distribuindo máscaras a todos os moradores. Sensibilizando para a necessidade de evitar ajuntamentos e atividades que os potenciem, bem como para alertar para a necessidade de confinamento.

A Câmara Municipal do Seixal manifestou toda a disponibilidade para intervir de acordo com o que a Unidade de Saúde Pública de Almada e Seixal considerasse necessário para a contenção destes pequenos surtos, tendo sido informada pelas autoridades de saúde que estas iriam avançar com uma determinação para o encerramento dos bares e que iriam acompanhar o cumprimento do confinamento em articulação com as forças de segurança.

Compreendemos que estes tempos não têm sido fáceis para as Autoridades Locais de Saúde e para o Ministério da Saúde, pelo que a Câmara Municipal do Seixal tem estado ativa e permanentemente no terreno a ajudar a travar esta batalha pela vida e, desde o primeiro instante, temos prestado todo o apoio aos bombeiros, aos agentes de segurança, aos profissionais de saúde e instituições sociais, distribuindo mais de 50 mil equipamentos de proteção individual a estas instituições. Estamos a distribuir 1 milhão de máscaras à população, temos prestado todo o apoio à realização de testes em lares e instituições sociais. Instalámos um equipamento de apoio ao Hospital Garcia de Orta e cedemos ao Hospital um espaço municipal para armazenamento de materiais hospitalares. Criámos Centros de Acolhimento Temporário para doentes com Covid-19 e para pessoas sem-abrigo. Criámos também Centros para Equipas de Reforço dos Bombeiros e para bombeiros que se encontram em quarentena. Para a concretização destas e de outras medidas reforçámos o orçamento em 3 milhões de euros e continuaremos a tomar todas as medidas que forem necessárias para apoiar a população do Seixal.

Importa ainda referir que dos 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa, o Seixal é o 13º em número de infetados, com 322 casos confirmados (19,30 por 10.000 habitantes). O Seixal está abaixo da média da Área Metropolitana de Lisboa, que conta com 8.000 casos confirmados (28,11 por 10.000 habitantes) e tem menos de metade do que o Concelho de Lisboa, onde se registam 2.206 casos confirmados (41,54 por 10.000 habitantes). O mesmo ocorre na Península de Setúbal, onde nos Concelhos do Barreiro e Almada existem 207 e 352 casos confirmados e onde o número contaminados por 10.000 habitantes é superior, 27,45 e 20,83, respetivamente.

Neste sentido e porque esta pandemia se trava junto das pessoas e não na comunicação social a Câmara Municipal do Seixal solicitou com urgência uma reunião à Ministra da Saúde e à Unidade de Saúde Pública afirmando uma vez mais que continuaremos a tomar todas as medidas necessárias para proteger e apoiar a nossa população de acordo com as orientações das autoridades de saúde."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Raul Soares
    27 mai, 2020 Aveiro 12:37
    Desculpem,a foto é em Lisboa ou Luanda?