|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Situações remuneratórias dos enfermeiros foram regularizadas, garante ministra

23 mai, 2020 - 17:27 • Redação com Lusa

Situações que levaram a que vários enfermeiros sofressem cortes no seu vencimento já foram corrigidas institucionalmente, confirmou a ministra da Saúde, em conferência de imprensa.

A+ / A-

Veja também:


A ministra da Saúde disse, este sábado, que as situações que levaram a que vários enfermeiros sofressem cortes no seu vencimento já foram corrigidas institucionalmente.

“Verificaram-se atrasos na entrega de alguns formulários necessários para que os processamentos remuneratórios fossem feitos em algumas instituições e essas situações já foram corrigidas institucionalmente”, afirmou Marta Temido, na conferência de imprensa diária sobre o ponto de situação da covid-19, realizada no Ministério da Saúde.

O Sindicato dos Enfermeiros acusou o Estado de não cumprir com o que está legislado em relação aos horários de trabalho, ao pagamento de trabalho suplementar e ao Regime de Prevenção e disponibilidade permanente daqueles profissionais de saúde, e anunciou hoje que vai apresentar uma queixa à Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Segundo o sindicato, verifica-se também o incumprimento dos períodos de descanso, o impedimento do gozo de feriados/tolerâncias em algumas instituições e o gozo de férias previstas.

A ministra afirmou que o seu ministério se vai manter atento “à evolução daquilo que possam ser situações especialmente gravosas” para os profissionais e saúde e sublinhou que vai “trabalhar com as estruturas representativas dos trabalhadores e com associações públicas profissionais no sentido de garantir que em termos laborais e deontológicos estão criadas as melhores condições para um funcionamento harmonioso”.

A Ordem dos Enfermeiros denunciou que vários profissionais, infetados no local de trabalho pelo novo coronavírus, “sofreram cortes significativos no vencimento” ou ficaram sem o seu ordenado.

A Renascença falou, esta sexta-feira, com os profissionais que estavam sem receber, com os profissionais que estavam sem receber, nem dos hospitais nem da Segurança Social.

Portugal contabiliza 1.302 mortos associados à covid-19 em 30.471 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais 13 mortos (+1%) e mais 271 casos de infeção (+0,9%).

O número de pessoas hospitalizadas baixou de 576 para 550, das quais 80 em unidades de cuidados intensivos (menos quatro).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria Oliveira
    23 mai, 2020 21:49
    “Verificaram-se atrasos na entrega de alguns formulários necessários para que os processamentos remuneratórios fossem feitos em algumas instituições e essas situações já foram corrigidas institucionalmente”. Basta ler esta afirmação da ministra para perceber quem é esta "governante". Nunca são responsáveis pelo que acontece. E, por isso, as respostas são sempre equívocas. Quem se atrasou na entrega dos formulários? É óbvio que não foram os enfermeiros. E o assunto só se resolveu depois das denúncias da bastonária e do eco que tiveram na R.Renascença, que fez o seu trabalho. Uma vergonha!