|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19

Macau vende cerca de 72 milhões de máscaras durante a pandemia

23 mai, 2020 - 11:59

A venda racionada das máscaras começou há quase quatro meses. A cada dez dias, cada pessoa pode adquirir dez máscaras a menos de um euro.

A+ / A-
Veja também:

Foram vendidas cerca de 72 milhões de máscaras, em Macau, desde final de janeiro, segundo revelaram, este sábado, as autoridades do território, na conferência de imprensa diária sobre a pandemia da Covid-19.

A venda racionada das máscaras começou há quase quatro meses, a 24 de janeiro. Foi uma das primeiras medidas do Governo de Macau, justificada pela falta de oferta no mercado mundial.

A cada dez dias, cada pessoa pode adquirir dez máscaras em cerca de meia centena de farmácias convencionadas no território, a um preço reduzido: oito patacas, ou seja, menos de um euro.

As autoridades salientaram, ainda, o facto de este sábado se cumprir o 45.º dia consecutivo sem registo de novos casos. Todos os 45 pacientes que deram positivo à Covid-19 já receberam alta hospitalar.

Depois de uma vaga inicial de dez casos, o território esteve 40 dias sem identificar qualquer infeção. A partir de meados de março, foram identificados mais 35, todos importados, um deles em estado grave.

Após a deteção de novos casos, as autoridades reforçaram as medidas de controlo e restrições fronteiriças. Uma delas é a quarentena obrigatória de 14 dias para todas as pessoas que entrem no território.

A pandemia do novo coronavírus, responsável pela Covid-19, já infetou mais de 5,2 milhões de pessoas a nível mundial, das quais morreram mais de 338 mil. Quase 2,1 milhões de pessoas tiveram alta médica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.