|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus. Rússia com mais 9.400 casos

23 mai, 2020 - 17:32 • Lusa

O país tem já mais de 335 mil infetados e mais de 3.300 mortos.

A+ / A-
Veja também:

A Rússia registou mais de 9.400 novos casos de infetados pelo novo coronavírus e 139 mortes por Covid-19, nas últimas 24 horas, elevando para um total de 335.882 contaminados e 3.388 óbitos, segundo dados oficiais.

Nas últimas 24 horas, o país somou 9.434 casos ao número de pessoas infetadas com a Covid-19: vai no oitavo dia consecutivo com registos diários de novos infetados inferiores a 10.000.

Em Moscovo, epicentro da pandemia no país, detetaram-se 3.190 novos casos de coronavírus, o que eleva para um total de 161.397 infetados na capital russa.

Também em Moscovo morreram 67 pessoas por Covid-19 durante as últimas 24 horas o que faz com que se registem na capital, até hoje, 1.934 óbitos.

Segundo a agência EFE, no dia 15 começou em Moscovo um programa de grande escala para detetar anticorpos na população.

No total, está prevista a realização de seis milhões de testes no âmbito de um estudo de seroprevalência, o que significa que metade da população da capital russa será testada.

Até ao momento, indicou hoje o chefe do departamento de Saúde de Moscovo, Alexéi Khripun, já se realizaram mais de 50.000 testes e, destes, 12,5% detetaram anticorpos da imunoglobulina G (IgG).

"Vemos que a proporção de moscovitas que desenvolveram imunidade ao novo coronavirus é comparável a algumas outras cidades do mundo", assinalou Alexéi Khripun.

A nível nacional, a responsável sanitária da Rússia, Anna Popova, disse que está previsto iniciar a realização de testes massivos de imunidade a partir do final de junho.

A responsável recordou que estes testes já são realizados em pessoal médico e, até ao momento, já foram testados 10.000 trabalhadores em 51 centros médicos do país.

Por outro lado, o diretor do Instituto Nikolái Gamaleya da Rússia, Alexandr Guintsburg, informou hoje que planeia iniciar a produção da uma vacina contra a covid-19 no final do verão.

O especialista assinalou que os ensaios preliminares da vacina em animais mostraram bons resultados e que espera poder solicitar a autorização para passar as provas clínicas para os humanos na primeira quinzena de junho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.