|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Prémio D. Manuel Falcão distingue trabalho sobre monges da Cartuxa de Évora

22 mai, 2020 - 13:00

O trabalho dsitinguido é uma reportagem multimédia do semanário "Expresso", intitulada "O adeus dos monges da Cartuxa".

A+ / A-

"O adeus dos monges da Cartuxa"; reportagem do semanário "Expresso" venceu, este ano, o prémio de jornalismo D. Manuel Falcão.

A reportagem multimédia vencedora tem texto de Cristiana Martins, fotografia de António Pedro Ferreira e video e edição de José Cedovim Pinto.

"O adeus dos monges da Cartuxa" é um trabalho sobre os quatro residentes do Mosteiro de Scala Coeli, às portas de Évora que, em Outubro,vpartiram para Espanha, por indicação da sua ordem; a Ordem de São Bruno ou Ordem dos Cartuxos.

O trabalho do "Expresso" agora premiado retrata o quotidiano dos últimos dias dos quatro monges, antes de abandonarem o mosteiro fundado em finais de 1587 pelo arcebispo de Évora, D. Teotónio de Bragança.

O júri decidiu ainda distinguir, a titulo honorífico, o programa 70x7, nos quarenta anos de emissão na RTP, e os jornais centenários "Noticias da Covilhã" e Jornal da Beira".

O Prémio de Jornalismo D. Manuel Falcão é uma iniciativa da Igreja Católica em Portugal, através do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais, em parceria com o Grupo Renascença Multimédia.

D. Manuel Falcão (1922-2012) foi bispo auxiliar de Lisboa e bispo de Beja, criou o Secretariado de Informação Religiosa e foi pioneiro do trabalho da Igreja Católica em Portugal nos meios de Comunicação Social, a partir dos anos 60 do século XX.

Desde 2016 que, por ocasião do Dia Mundial das Comunicações Sociais, este ano assinalado no domingo 24 de maio, a Igreja Católica em Portugal distingue trabalhos jornalísticos sobre temática religiosa publicados durante o anto anterior.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.