|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

I Liga

Nacional leva Marítimo a tribunal

22 mai, 2020 - 15:05 • Rui Viegas

Clube dos Barreiros quer anular a II Liga. Rui Alves, presidente do Nacional, um dos dois clubes que sobem pela secretaria, anuncia em Bola Branca que vai agir judicialmente.

A+ / A-

O Nacional vai avançar para tribunal contra o Marítimo, segundo revela o presidente dos alvinegros, Rui Alves, em entrevista a Bola Branca.

O Marítimo quer impugnar a classificação da II Liga. Após decisão da Direção da Liga de Clubes, o Nacional e o Farense foram promovidos ao principal escalão na secretaria. O emblema dos Barreiros recorreu da decisão para o Tribunal Arbitral do Desporto, tendo por base a ausência de validação estatal e dizendo-se prejudicado financeiramente com o fim da II Liga e consequentes subidas administrativas.

Rui Alves garante que vai agir judicialmente e espera contar com o “parceiro de subida”, o Farense: "O Nacional vai fazê-lo, vai fazê-lo. E tudo fará também para que o Farense o acompanhe nesta matéria."

O líder nacionalista argumenta que, a partir desta data, o seu clube e o Farense estão a ser prejudicados, uma vez que a iniciativa do Marítimo vai criar dúvidas nos jogadores que eventualmente lhes interessem.

“A forma como o Nacional e o Farense se apresentarão, para a construção dos seus plantéis, será inevitavelmente afetada por esta situação. Muitos atletas que podem interessar a estes clubes e porque não estarão, nem têm de estar, com a informação toda, mostrarão resistência quanto à participação no plantel, porque ficarão, na sua cabeça, com a dúvida sobre a competição em que irão jogar. Portanto, Nacional e Farense vão perder muitos atletas e oportunidades de negócio”, explica Rui Alves.

Presidente do Marítimo está "absolutamente isolado"


De resto, o presidente do Nacional não abranda nas críticas a Carlos Pereira, presidente do Marítimo, alguém que diz ter ficado órfão de um apoio familiar na Liga de Clubes. Alusão a Mário Figueiredo, antigo líder do organismo que gere o futebol profissional em Portugal.

“Depois de perder o genro enquanto presidente da Liga, o senhor Carlos Pereira ficou órfão e, como órfão, tem este tipo de comportamentos, que o futebol, a seu tempo, julgará em conformidade. E, também neste caso, os tribunais darão a resposta adequada”, atira.

Rui Alves assegura que o presidente maritimista é, hoje, um homem "absolutamente isolado no futebol português" e que isola o próprio clube:

“É uma personalidade que está a conduzir o seu clube para o isolamento completo. Perdem as instituições, quando os homens começam a colocar esses interesses pessoais à frente das instituições que dirigem.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.