Tempo
|
A+ / A-

época balnear em pandemia

Algarve “Covid free”. Autarcas acolhem medidas para as praias

21 mai, 2020 - 14:11 • João Cunha

A partir de 6 de junho, começa uma nova época balnear com regras diferentes dos outros anos, devido ao quadro de pandemia. “Numa primeira fase pode-se estranhar, mas os portugueses têm mostrado uma atitude cívica de grande elevação”, diz presidenta da AMAL à Renascença.

A+ / A-

Veja também:


Há distâncias de segurança a respeitar, aumento da vigilância policial, há a figura do assistente de praia (que vai ajudar a orientar os banhistas), sinalética que indica a ocupação do areal (dois metros quadrados para cada adulto, contando com a toalha e guarda-sol) e corredores de circulação de sentido único para aceder à praia e para dela sair.

Estas e outras medidas fazem parte do manual de boas práticas para a época balnear, da Agência Portuguesa do Ambiente. O documento, intitulado “Ir à praia em segurança”, especifica também que deve haver uma sala de isolamento nos postos de socorro das praias, de forma a conseguir isolar casos suspeitos.

A região mais procurada do país para fazer praia é o Algarve, onde os autarcas preparam agora a implementação destas medidas em cada praia da região. Medidas que saíram de vários encontros entre o Governo, as autoridades de saúde e os próprios autarcas.

António Pina, presidente da Associação de Municípios do Algarve e autarca de Olhão, considera que são medidas que “vão ao encontro do que os autarcas pretendiam, e agora, em cada município, vamos trabalhar no sentido de as aplicar”.

Para já, o presidente da AMAL acredita que, nesta fase, existe expectativa e curiosidade, tanto de banhistas como de concessionários. “Especialmente, os concessionários que vivem muito ligados ao turismo”.

Contudo, António Pina acredita que “vai correr tudo dentro da normalidade, apesar de numa primeira fase poder estranhar-se um pouco”.

“Depois, os portugueses já deram nota de uma atitude cívica de grande elevação para cumprir com estas regras”, sublinha nestas declarações à Renascença, nesta quinta-feira.

Algarve “Covid free”

O responsável algarvio diz que as medidas a aplicar vão criar uma sensação de segurança, face à pandemia. E ainda bem. “Todos nós queremos criar essa sensação”. Mas “não é só parecer, temos também de ser”, destaca. “Porque a retoma da nossa economia e do turismo vai precisar muito desta imagem de um Algarve ‘Covid Free’”.

“Não é só uma perceção”, reforça António Pina. Quem chega irá verificar “que o Algarve é seguro porque se cumprem as regras, porque as coisas estão organizadas para que todos possam usufruir da restauração, da hotelaria, dos nossos espaços públicos, das nossas praias. Não é só, portanto, parecer, temos também se ser”, insiste.

Na opinião do presidente da Associação de Municípios do Algarve, há apenas uma regra que poderá ser mais difícil de cumprir: o tempo para quem aluga toldos em zonas concessionadas.

O manual aconselha que “os toldos sejam alugados apenas por períodos no dia. Período da manhã e período da tarde. Não é uma obrigatoriedade, tanto quanto percebo, e é até de difícil concretização essa pequena parte, porque uma família que chega às 10h/11h00 não vai alugar o toldo até às 13h00”, sustenta.

Pode consultar aqui o manual “Ir à praia em segurança” na íntegra.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+