|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

China quer apertar controlo em Hong Kong com nova lei

21 mai, 2020 - 18:55 • Redação com Reuters

Governo chinês quer aprovar lei que proíbe a "sedição, traição e secessão". Hong Kong tem sido palco de diversas manifestações contra o regime e pró-democracia, desde o final do ano passado.

A+ / A-

A China propôs introduzir uma nova lei de segurança em Hong Kong para limitar a oposição ao regime, com a "proibição de sedição, traição e secessão". A medida deverá ser aprovada nos próximos dias pelo Parlamento, segundo o porta-voz Zhang Yesui.

De acordo com o porta-voz parlamentar, o objetivo da medida é "reforçar o sistema legal e os mecanismos de segurança em Hong Kong, para salvaguardar a segurança nacional".

No entanto, esta medida deverá receber forte oposição em Hong Kong e também a nível internacional. A região tem sido palco de diversas manifestações contra o regime chinês, desde o final do ano passado.

O Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, promete uma forte reação caso a medida seja aprovada, sendo que a relação entre os dois governos ficou gravemente afetada devido à pandemia da Covid-19.

O último governador britânico de Hong Kong, Chris Patten, descreve a proposta como "um assalto à autonomia da cidade".

O parlamento chinês vai votar a aprovação da medida na sexta-feira, sendo que já existe uma lei semelhante na China para silenciar a oposição ao partido comunista, que governa.

O jurista Dennis Kwok, afirmou à Reuters que a medida colocará um fim a Hong Kong e à máxima de "um país, dois sistemas". "Será o fim de Hong Kong", afirmou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.