Bolsonaro amplia uso da cloroquina, contra evidências científicas. "Quem quiser usa, quem não quiser não usa"

20 mai, 2020 - 18:59 • Inês Rocha com Reuters

O presidente do Brasil anunciou um novo protocolo sobre a cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de pacientes de Covid-19. Apesar de vários estudos científicos indicarem que os benefícios são baixos e que as substâncias podem causar arritmias graves, Bolsonaro ordenou o aumento da produção deste medicamento. "Quem quiser usa, quem não quiser não usa", afirma o presidente brasileiro, dando o exemplo de Donald Trump, que diz estar a tomar o medicamento por prevenção.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Reportagem
Eu Eleitor hyper

Eu, eleitor

Retratos do país que vota

Que país é este que vai às urnas? Até às eleições legislativas, a Renascença apresenta retratos de 18 eleitores dos círculos eleitorais de Portugal continental, olhando as características e dificuldades de cada distrito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.