|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Entrevista a ​Sónia Carneiro

Liga revela que "haverá jogos de segunda a domingo”

19 mai, 2020 - 14:25 • Pedro Azevedo

Sónia Carneiro, diretora executiva da Liga, revela detalhes sobre o calendário da Liga, em entrevista a Bola Branca. O recomeço é a 4 de junho. A última jornada está marcada para 26 de julho.

A+ / A-

Veja também:


O calendário dos 90 jogos que restam até ao fim do campeonato será conhecido ainda esta semana e incluirá partidas de segunda a domingo. A garantia é dada pela diretora executiva da Liga Portugal, em entrevista a Bola Branca. Sónia Carneiro revela as datas para o reinício e fim da competição e a cadência de jogos, que em largos períodos ocorrerão todos os dias.

"Teremos futebol de segunda a domingo, exceto em alguns dias de julho em que não será possível. Os adeptos irão 'matar' toda a 'fome' de bola que tiveram durante estes dois meses e meio de confinamento", explica Sónia Carneiro, que revela que o campeonato percorrerá as oito semanas que vão de 4 de junho a 26 de julho.

“Serão oito semanas garantidas de futebol. Oito semanas fantásticas. Estamos a trabalhar com os operadores para otimizar horários e preencher o calendário o mais possível com o número máximo de dias com jogos. Vai haver alturas em que teremos jogos todos os dias. Os clubes estão a fazer um grande esforço nesse sentido e esse trabalho está a ser feito com os departamentos de futebol, para as equipas terem um período de descanso mínimo de três a quatro dias”, enaltece.

Detalhando a forma de preencher o calendário, a diretora executiva da Liga Portugal anuncia poucas exceções para um ritmo diário de jogos:

“É importante o esfoço que está a ser feito pelos operadores, que são uma parte importantíssima do futebol e alimentam grande parte do que os clubes conseguem ter. Os clubes estão conscientes disso e, em colaboração estreita entre os operadores, clubes e Liga, vamos definir um calendário que possa ser agradável para todos e que possa ter futebol praticamente todos os dias nestas oito semanas."

Isso só não será possível na última jornada, "por razões regulamentares", e nas duas primeiras, "porque há algum risco de lesões".

"As duas primeiras jornadas terão um espaçamento de quatro ou cinco dias, mas a partir daí teremos jornadas com jogos que vão ocupar quase todos os dias. Provavelmente, ainda dentro desta semana, será publicado o calendário dos 90 jogos que restam até ao fim do campeonato”, avança.

Estádios ainda por definir


Para a conclusão do calendário dos 90 jogos que restam da Liga, Sónia Carneiro explica que falta a definição do quadro de estádios que irão receber os jogos.

“Acredito que, quando chegarmos ao dia 4 de junho, tudo vai estar pronto. Os 14 estádios que estão a concurso para a realização dos jogos estão a ser vistoriados hoje [esta terça-feira] por cada uma das administrações regionais de saúde. A informação que tenho é que as vistorias estão a correr bem, os planos de contingência dos clubes foram apresentados e, até agora, sem mácula. Admito que amanhã [quarta-feira] ou o mais tardar quinta-feira teremos os relatórios finais e o quadro de estádios definido", projeta.

A diretora executiva da Liga confirma que os estádios de Belenenses SAD e Santa Clara (jogarão na Cidade do Futebol), Famalicão (jogará no estádio do Gil Vicente, em Barcelos) e Moreirense (usará o estádio do vizinho Vitória de Guimarães) foram postos de lado.

Nesta altura, subsistem dúvidas sobre a inclusão dos estádios de Paços de Ferreira, Desportivo das Aves, Rio Ave, Portimonense, Tondela e Vitória de Setúbal. Sónia Carneiro ainda não exclui a possibilidade de qualquer desses recintos acolher os jogos:

“Esses estádios são de nível 2 e 3 e tiveram uma vistoria prévia por uma entidade certificada pela Direção-Geral da Saúde. Todos os demais 14 estádios da Liga estão a ser vistoriados e não há nenhum que, à partida, esteja excluído ou incluído. Acredito que os relatórios estejam prontos entre amanhã [quarta-feira] e quinta-feira, para, a partir daí, podermos definir tudo."

A ameaça de impugnação do campeonato, feita por clubes que possam estar em desacordo com a mudança de estádio, é um tema que não entra na agenda da Liga.

“Sinto um envolvimento muito grande de todos os clubes. O que nos chega diariamente á Liga é uma vontade imensa de todos os clubes de recomeçarem a competição, de colocar o talento dos seus atletas no relvado e esse não é um tema prioritário para nós”, garante Sónia Carneiro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Mario Barata
    20 mai, 2020 LONDON 17:49
    Com tantos problemas extremamente graves de pobreza fome, muitas empresas em serias dificuldades económicas, o País com graves problemas económicos e só se pensa no futebol como se fosse a coisa mais importante para este País ... CAMBADA ...