Tempo
|
A+ / A-

Papa Francisco evoca João Paulo II como "um homem da misericórdia"

18 mai, 2020 - 07:00 • Aura Miguel com Ecclesia

Francisco celebrou, esta segunda-feira, missa junto ao túmulo do papa polaco, na Basílica de São Pedro, assinalando o centenário do nascimento de Karol Wojtyla.

A+ / A-
"Um homem da misericórdia". Francisco evoca centenário do nascimento de João Paulo II
"Um homem da misericórdia". Francisco evoca centenário do nascimento de João Paulo II

O Papa Francisco evocou, esta segunda-feira, João Paulo II como “um homem da misericórdia”, durante a missa a que presidiu junto ao túmulo do papa polaco, na Basílica de São Pedro, assinalando o nascimento de Karol Wojtyla.

Francisco destacou “três das muitas facetas deste homem de Deus: a oração, a proximidade ao povo e seu amor à justiça”.

“São João Paulo II foi um homem de Deus que, há 100 anos, o Senhor deu ao seu povo”, disse o Papa, na missa que celebrou esta manhã junto ao túmulo do papa polaco.

"No modo como rezou, como viajou ao encontro de todos e como consolidou a ligação entre justiça e misericórdia, é hoje modelo para todos", sublinhou Francisco.

A primeira faceta que Francisco sublinhou foi a sua grande capacidade de oração: “Mas como é que um homem com tanto trabalho para fazer e para guiar a Igreja, rezava tanto? Ele bem sabia que a primeira missão de um bispo é rezar. Por isso, é modelo para todos.”

A segunda faceta em destaque é a proximidade, que o levou a viajar pelo mundo inteiro, “para procurar e encontrar o seu povo”, pois ou “um pastor está próximo do seu povo, senão não é pastor. E São João Paulo II deu-nos o exemplo desta proximidade.”

O terceiro aspeto que Francisco sublinhou foi o do amor à justiça: “aAjustiça social, a justiça dos povos, a justiça que afasta as guerras, a justiça plena. Por isso, São João Paulo II foi o homem da misericórdia, porque justiça e misericórdia caminham juntas."

“Pensemos em quanto fez para que as pessoas entendessem a misericórdia de Deus. Pensemos como levou por diante a devoção a Santa Maria Faustina”, religiosa polaca que viveu entre 1905 e 1938, disse ainda Francisco.

João Paulo II determinou, no ano 2000, que o primeiro domingo a seguir à Páscoa, o segundo do Tempo Pascal, se passasse a denominar da “Divina Misericórdia”, no seguimento das indicações redigidas no "Diário" de Santa Maria Faustina Kowalska.

Segundo Francisco, o primeiro Papa polaco da história entendeu que “a justiça de Deus tinha este rosto de misericórdia”.

Assisitram à celebração algumas dezenas de pessoas reunidas diante do túmulo do santo polaco, num dos altares laterais da Basílica de São Pedro.

Karol Jozef Wojtyla nasceu em Wadowice, a 18 de maio de 1920; foi eleito Papa a 16 de outubro de 1978, e morreu no Vaticano, a 2 de abril de 2005; Francisco canonizou-o a 27 de abril de 2014, perante mais de um milhão de pessoas.

Entre os seus principais documentos, contam-se 14 encíclicas, 15 exortações apostólicas, 11 constituições apostólicas e 45 cartas apostólicas.

João Paulo II realizou 104 viagens apostólicas fora da Itália, a que se juntam 146 nesse país em 26 anos e meio de pontificado; visitou 129 países diferentes e mais de mil cidades. O santo polaco passou por Portugal em 1982, 1991 e 2000 – além de uma escala técnica no Aeroporto de Lisboa (2 de março de 1983), a caminho da América Central.

Edição especial do "L’Osservatore Romano"

O Papa Francisco assina o texto de abertura de uma edição especial do jornal do Vaticano, "L’Osservatore Romano", dedicada a São João Paulo II, pontífice entre 1978 e 2005 - o terceiro pontificado mais longo na história da Igreja Católica.

“Caros irmãos e irmãos, fazendo memória do centenário do nascimento de São João Paulo II, dirigimo-nos a ele, para pedir a sua intercessão: intercede para que permaneçamos sempre fiéis ao Evangelho; intercede para saibamos escancarar as portas a Cristo”, escreve Francisco.

“Intercede para que, nestes tempos difíceis sejamos testemunhas de alegria e de misericórdia; intercede para que saibamos responder às necessidades dos nossos irmãos que sofrem, reconhecendo no seu rosto o rosto do Senhor. Ajuda-nos com a tua intercessão para que não nos deixem roubar a esperança e a ser homens e mulheres que caminhamos na certeza da fé”, acrescenta.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuela
    18 mai, 2020 Lisboa 08:01
    Santo Papa João Paulo II, Rogai a Deus, por nós!

Destaques V+