Tempo
|
A+ / A-

Ana Gomes vai "refletir" sobre presidenciais

17 mai, 2020 - 22:18 • Redação com Lusa

Antiga eurodeputada considera que o que se passou entre o Presidente da República e o primeiro-ministro “foi muito grave”.

A+ / A-

A socialista Ana Gomes diz que vai refletir sobre as eleições presidenciais.

A antiga eurodeputada do PS considera que o que se passou entre o Presidente da República e o primeiro-ministro durante a visita à Autoeuropa “foi muito grave”.

"Tão grave que eu, que tenho dito e continuo a pensar que o PS deveria ter um candidato próprio e também disse que não sou candidata, mas acho que neste momento todos os democratas temos de refletir nas implicações do que se passou, nas implicações que vai ter na democracia. Admito refletir, é isso que vou fazer", referiu.

"Isto tem consequências: haver um candidato do regime, que polariza a sociedade, faz o jogo da extrema-direita, é muito perigoso para a democracia".

Ana Gomes falava na SIC-Notícias a propósito das declarações do primeiro-ministro e secretário-geral do PS, António Costa, na Volkswagen Autoeuropa, na quarta-feira, manifestando a expectativa de regressar àquela fábrica com o atual Presidente da República, já num segundo mandato, dando como certa a sua recandidatura e reeleição.

Segundo Ana Gomes, esta situação obriga a uma reflexão de toda a esquerda. A socialista repete que “não tem ambições de ser candidata”, mas que vai ter de refletir porque, em sua opinião, a situação é grave.

Enquanto militante socialista, Ana Gomes criticou António Costa por ter assumido uma posição sobre as presidenciais quando "não estava na qualidade sequer de dirigente partidário, mas na qualidade de primeiro-ministro" e observou que "a democracia não está suspensa", mas "parece que alguns pensam que está suspensa no PS".

Em seguida, criticou também o presidente do PS, Carlos César, pelas suas declarações ao jornal Público, em que remeteu o congresso previsto para este ano para depois das eleições presidenciais, acusando-o de falar com "uma leviandade paternalista insuportável".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    18 mai, 2020 Viseu 11:57
    Para esta “ilustre” senhora, a extrema-direita, mesmo que democrática, é muito perigosa para a democracia, mas os marxistas: socialistas, comunistas e a extrema-esquerda comunista, são doces como o mel! Grande hipocrisia…
  • João Lopes
    18 mai, 2020 Viseu 10:31
    Grande hipocrisia: “a extrema-direita”, é muito perigosa para a democracia, mas os comunistas, os socialistas marxistas e a extrema-esquerda comunista não são perigosos para a democracia: grande hipocrisia!
  • Petervlg
    18 mai, 2020 Trofa 09:06
    Por favor candidata-te

Destaques V+