|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

Conselho de Directores
Debate com Graça Franco, da Renascença, Henrique Monteiro e Pedro Santos Guerreiro. Quinta, às 19h30
A+ / A-
Arquivo
"Centenogate" - Conselho de Diretores
"Centenogate" - Conselho de Diretores

Conselho de Diretores

Caso Novo Banco foi uma "manobra de diversão"

14 mai, 2020


A polémica em torno da injeção de 850 milhões de euros no Novo Banco, com Mário Centeno, António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa como atores principais, foi o tema em destaque no “Conselho de Diretores” desta semana, com Graça Franco, Henrique Monteiro e Pedro Santos Guerreiro, para quem tudo não passou de uma "manobra de diversão".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • João Lopes
    16 mai, 2020 Viseu 12:07
    Sim foi uma "manobra de diversão” e de cumplicidade, estudada e combinada anteriormente entre os três atores: Marcelo, Costa e Centeno. Cada um atuou segundo o papel acordado. Mas não enganaram os portugueses. Foi uma palhaçada, que prejudica grandemente os portugueses, no presente e no futuro. E é um péssimo exemplo da governação leal, ética, transparente. Os portugueses merecem melhores governantes…
  • FIlipe
    14 mai, 2020 évora 21:33
    Digamos que aprenderam a escola toda do roubo de armas de Tancos .