|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Governo anuncia intervenção na TAP para junho

13 mai, 2020 - 12:01 • Susana Madureira Martins com redação

O secretário de Estado do Tesouro, Álvaro Novo, durante a audição sobre a recapitalização do Novo Banco, avançou que a União Europeia terá de ser consultada em maio para a operação avançar no mês seguinte.

A+ / A-

O Governo já tem uma data para a intervenção financeira do Estado na TAP. O Executivo aponta meados de junho, para fazer face às dificuldades financeiras que a companhia atravessa e que foram agravadas pela pandemia do Covd-19. Quem o garantiu aos deputados, na manhã de quarta-feira, foi o secretário de Estado do Tesouro, Álvaro Novo, durante a audição sobre a recapitalização do Novo Banco.

O governante disse ainda que está à espera de mais informação da empresa de aviação sobre as necessidades financeiras e que a transferência poderá acontecer já no próximo mês.

“Esperamos que falando com a União Europeia, porque a isso estamos obrigados como sabem, ter uma decisão prática de injeção de dinheiro mediantes condições que vão ser estabelecidos ao longo deste processo negocial em meados de junho”, defendeu Álvaro Novo.

Sobre este tema, o primeiro-ministro António Costa já disse que só haverá apoio à TAP com "mais controlo e uma relação de poderes adequada", tendo assegurado que a transportadora aérea continuará a "voar com as cores de Portugal".

"O Estado não meterá - nem sob a forma de forma de garantia, injeção de capital ou empréstimo - um cêntimo que seja na TAP sem que isso signifique mais controlo e uma relação de poderes adequada a esse apoio que vier a conceder", assegurou.

Novo Banco no olho do furacão

Toda a equipa do ministério das Finanças está hoje no parlamento, sendo que grande parte da audição está a centrar-se na questão da mais recente recapitalização do Novo Banco, e no facto de Mário Centeno não ter comunicado previamente ao primeiro-ministro António Costa da injeção de mais 850 milhões de euros naquele banco.

O ministro das Finanças apelou, entretanto, ao bom senso dos gestores daquela instituição bancária para que não sejam distribuídos os prémios aos acionistas que estão previstos para o próximo ano. “Apesar da questão que referiu destes prémios só serem em 2021, ainda vamos a tempo de resolver esta situação nos órgãos normais do Novo Banco, e esperemos que haja esse bom senso”, disse.

Mário Centeno que, de novo, foi obrigado − desta vez pelo Bloco de Esquerda − a garantir perante os deputados que não há contradição , nem nenhum conflito dentro do governo sobre a recapitalização do Novo Banco.

Antes Centeno tinha referido que a transferência estava prevista no Orçamento do Estado e seria impensável não cumprir o que está contratado.

“O Estado não fez um empréstimo porque gosta”, sublinhou Mário Centeno, acrescentando que, caso o Governo não agisse, além de uma crise sanitária, Portugal ficaria também numa situação de crise bancária. “Deste modo, ficamos com a credibilidade que Portugal conquistou.”

Lesados do BES acusam: “Novo Banco, o ladrão das minhas poupanças”
Lesados do BES acusam: “Novo Banco, o ladrão das minhas poupanças”
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.