Tempo
|
A+ / A-

Encontrada morta criança desaparecida em Peniche. Pai e madrasta detidos

10 mai, 2020 - 12:22 • Carla Caixinha , com redação

Menina de nove anos estava desaparecida desde quinta-feira. Autoridades dão conferência de imprensa às 16h00.

A+ / A-

A Polícia Judiciária (PJ) confima que foi localizado o corpo da criança, de nove anos, já sem vida. A menina estará morta desde quinta-feira, altura do seu desaparecimento em Peniche.

Em nota enviada à redação, a PJ revela que foram “detidas duas pessoas suspeitas no envolvimento na morte da criança”. Mas, segundo os meios de comunicação são dois familiares - pai e madrasta.

Em conferência de imprensa este domingo à tarde, o coordenador da PJ de Leiria confirmou a identidade dos dois suspeitos, que estão "fortemente indiciados por homicídio, ocultação de cadáver e outros crimes".

De acordo com a TVI24, o pai da criança, de nove anos, confessou o crime após vários depoimentos contraditórios, acabando por levar os agentes ao local.

Ao que tudo indica, o corpo foi encontrado a poucos quilómetros de casa, numa zona de eucaliptos.

"Pelo menos acabou-se com este martírio. Embora seja uma infelicidade que tenha acabado mal", desabafou o presidente da junta de freguesia de Atouguia da Baleia, Afonso Clara, que esteve sempre envolvido nas buscas.

A criança de nove anos estava desaparecida desde a manhã de quinta-feira. Militares da GNR, bombeiros e dezenas de voluntários participaram nas buscas. As operações contaram ainda com a ajuda de drones, câmaras térmicas e cães pisteiros.

Já em 2018, segundo avanla a TVI24, a criança tinha desaparecido de uma outra casa onde a família residia no concelho, tendo sido depois encontrada pelas forças policiais. Esta informação foi confirmada oficialmente pelas autoridades, nem pela PJ nem pela GNR.

[atualizado às 17h]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Sérgio Pestana
    10 mai, 2020 Funchal 14:34
    Pena perpétua ou...rip, Valentina meu anjo.
  • ANTÓNIO
    10 mai, 2020 QUEIJAS 13:26
    Devia ter tratamento especial na prisão. Em vez de pão "porrada" ao p.a., almoço e ao jantar porrada para dormir bem e acordar ao som de porrada. Não posso ter dó nem pena é demasiado para o meu entender da vida..................