|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

13 de Maio

Operação "Fátima em casa". GNR atenta aos acesso, 3.500 militares tentam dissuadir peregrinos

09 mai, 2020 - 11:03 • Marta Grosso com redação

Para já, “está tudo muito tranquilo”, diz à Renascença o coronel Vítor Rodrigues, recordando que “os parques de estacionamento estão fechados”. Operação da GNR abrange todo o país.

A+ / A-

Veja também:


A GNR já está a controlar os acessos a Fátima para assegurar que os peregrinos não entram no recinto de oração. Isto, porque este ano, por causa da pandemia de Covid-19, as celebrações de 12 e 13 de Maio vão decorrer sem a presença de fiéis.

“O nosso objetivo primeiro é criar esse anel que nos permita controlar nomeadamente todas as viaturas que acedam à cidade de Fátima, para que as possamos controlar e ter uma ideia sobre a razão da deslocação”, começa por explicar o coronel Vítor Rodrigues.

“Se a razão foi efetivamente a ida ao Santuário, naturalmente que vamos convencer as pessoas e demovê-las a fazê-lo, até porque todos os parques de estacionamento estão fechados”, sublinha.

Em declarações à Renascença, este responsável pelas operações da GNR diz que, para já, a missão dos mais de 1.200 militares é de sensibilização. Mas a operação "Fátima em Casa" vai contar com um dispositivo alargado, pois até 13 de maio vão estar na estrada 3.500 guardas.

“É um dispositivo que, obviamente, não está só destinado a esta missão e a esta operação, mas tem outras funções”, adianta, dizendo que os militares têm como missão controlar a circulação.

“Obviamente que o nosso empenho para a situação de Fátima é um empenho nacional, de Norte e Sul, porque a tradição do 13 de Maio de Fátima comporta sempre movimentos de todos os lados, de todos os locais do país e não só. Temos, portanto, um empenho nacional naquilo que é a monitorização de situações que possam vir a confluir para Fátima”, explica ainda.

Para já, adianta o coronel, “está tudo muito tranquilo”.

Na sexta-feira, o ministro da Administração Interna avisou que “as forças de segurança tomarão as medidas necessárias” para impedir a participação de peregrinos nas celebrações em Fátima.

“Peregrinações a pé a caminho de Fátima não são adequadas ao momento que vivemos”, afirmou ainda Eduardo Cabrita, desaconselhando todas as deslocações ao Santuário de Fátima por causa da pandemia de Covid-19.

O Governo publicou entretanto um despacho que estabelece a ausência física de peregrinos no Santuário.

“Entendendo como relevante para a comunidade católica portuguesa a celebração das aparições de Fátima, no dia 13 de Maio, e atendendo a que, mediante o cumprimento dos termos fixados no presente despacho, a saúde pública é adequadamente garantida, considera-se justificada e proporcional a realização da referida celebração, a qual, nos termos já oportunamente comunicados pela diocese de Leiria-Fátima, não contará este ano com a presença física de peregrinos no recinto do santuário”, lê-se no documento.

O reitor do Santuário de Fátima acolheu bem o despacho, considerando que é “uma questão de defesa das partes”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José
    09 mai, 2020 23:19
    AINDA ALGUM IDIOTA PENSA QUE VIVE NUM ESTADO DE DIREITO? Com base em que Lei a polícia assedia as populações? Que o clero é uma cambada de comunistas/socialistas excomungados, e incréus com medo da morte (que grande Fé!), não é novidade para nenhum católico que use a massa cinzenta que lhe ocupa a caixa craniana; mas a GNR comportar-se como um gang de bairro, é sem dúvida dignificante. Quando lhes faltar o dinheiro, o clero logo se lembrará do povo de Deus.
  • Nuno Pereira
    09 mai, 2020 Penafiel 19:30
    Voltamos ao PREC. Portugal está numa decadência democrática. O Doutor Marcelo onde está? Não se defende os direitos dos cidadãos por igual? Acaso não jurou guardar a Constituição? E quanto ao Senhor Costa, está à vista o "tachismo" crónico. Triste governante. Ó Povo Português, que fizeste da tua grandeza?
  • ANTÓNIO
    09 mai, 2020 QUEIJAS 14:18
    VÃO ALI PARA OS LADOS DO SEIXAL E FAZEM MA BOA "COLHEITA"
  • Americo
    09 mai, 2020 Leiria 13:03
    Levem na lapela do casaco a foice e o martelo, ou uma bandeira da CGTP e já podem passar.......
  • Aj
    09 mai, 2020 Fafe 12:45
    Sejam criativos peregrinos...coloquem nos autocarros uma bandeira da CHEGO e outra do PCP Depois digam que vêm do Seixal ....que estiveram no 1 de maio e regressam ao Seixal para a festa do Avante! Ninguém vos impedirá de seguir viagem ...e o primeiro ministro da uma ajudinha