|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Fátima pede alívio fiscal para setor do turismo religioso

09 mai, 2020 - 22:28 • André Rodrigues , com redação

Hotéis e comércio estão fechados devido à pandemia e sem fiéis para o 12 e 13 de maio.

A+ / A-

Veja também:


Empresários de Fátima pedem um alívio fiscal para o setor do turismo religioso.

A menos de uma semana das celebrações de 12 e 13 de maio, os hotéis e o comércio estão totalmente encerrados por força da pandemia.

Mais de 70% dos turistas da região têm origem em mercados internacionais cujas viagens estão, nesta altura, suspensas.

Em declarações à Renascença, a presidente da Associação Empresarial de Fátima - Purificação Reis - apela, por isso, a um alívio fiscal para as empresas da região.

“Pagamentos especiais por conta, que não fazem qualquer sentido as empresas estarem a suportar porque estão encerradas; o IMI, que aqui em Fátima é especialmente oneroso tendo em conta o tipo de sazonalidade que é característico desta zona; há a necessidade de ausentar os encargos para a Segurança Social por conta das entidades empregadoras de forma a que elas possam manter os trabalhadores ao seu serviço e de forma a evitar que a situação de desemprego assuma valores e efeitos sociais complexos”, disse.

A presidente da Associação Empresarial de Fátima pede maior flexibilidade no regime de “lay-off”.

“Há encargos fixos que as empresas têm. Não é possível as empresas sobreviverem sem apoios adicionais. Há a situação do ‘lay-off’, que durante este tempo está a ser utilizado pela maioria das empresas, mas consideramos que Fátima necessita de um ‘lay-off’ mais flexibilizado”, acrescentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.