Tempo
|
A+ / A-

​Central nuclear de Almaraz autorizada a funcionar até 2028

08 mai, 2020 - 15:56 • Dina Soares

A vida útil da central terminava em junho deste ano, mas as três companhias proprietárias - Iberdrola, Endesa e Naturgy – chegaram a acordo em março para requerer o seu prolongamento.

A+ / A-

O Conselho de Segurança Nuclear (CSN) espanhol autorizou o prolongamento do funcionamento da central nuclear de Almaraz, na província de Cáceres, até outubro de 2028.

“O plenário do CSN acordou informar favoravelmente a solicitação da renovação da autorização de exploração da central nuclear de Almaraz (Cáceres), cuja vigência terminava em junho. Concretamente, permite o funcionamento da unidade I até 1 de novembro de 2027 e a unidade II até 31 de outubro de 2028, que iniciaram o seu funcionamento em 1981 e 1983, respetivamente”, informa o CSN em comunicado.

O organismo responsável pela segurança das centrais nucleares espanholas impõe, no entanto, o cumprimento de 13 condições e limites para que Almaraz possa manter as portas abertas.

A vida útil da central terminava em junho deste ano, mas as três companhias proprietárias - Iberdrola, Endesa e Naturgy – chegaram a acordo em março para requerer o seu prolongamento.

O pedido foi analisado durante o mês de abril e a resposta positiva é justificada pelo CSN com o cumprimento das condições impostas em 2010, ano em que a autorização de funcionamento da central foi renovada. O parecer do CSN será agora remetido ao Ministério para a Transição Ecológica para a sua autorização definitiva.


Ambientalistas portugueses preocupados

No início do ano, a associação ambientalista Quercus elegia a central de Almaraz como um dos seus principais motivos de preocupação para este ano e defendia o início imediato do seu processo de desmantelamento. Isto porque a central usa as águas do Tejo no seu processo de arrefecimento e que fica a apenas cem quilómetros da fronteira portuguesa.

Em Espanha existem cinco centrais nucleares em funcionamento: Almaraz, em Cáceres, Vandellós e Ascó, em Tarragona, Cofrentes, em Valencia, e Trillo, em Guadalajara. Estas centrais têm um total de sete reatores nucleares, cumprem 40 anos de vida útil entre 2023 (Almaraz) e 2028 (Trillo).

No entanto, o acordo celebrado com a Endesa, a empresa pública responsável pela gestão dos resíduos radioativos, prevê o encerramento de todas as centrais nucleares espanholas comece apenas em, 2025 e se prolongue até 2035.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.