Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

Dividendos dividem esquerda no Parlamento. Direita acusada de "incentivar ganância"

07 mai, 2020 - 00:51 • Paula Caeiro Varela , Filipe d'Avillez

O Bloco de Esquerda lamentou que a direita esteja "a incentivar a ganância", o que levou André Ventura a desafiar Moisés Ferreira a abdicar do seu salário.

A+ / A-

Veja também:


O Parlamento prepara-se para votar contra as propostas do PCP, PEV e PAN para proibir a distribuição de dividendos na banca e grandes empresas, por causa da pandemia de Covid-19.

O assunto foi alvo de um intenso debate em que até Karl Marx foi recuperado, pela voz da Iniciativa Liberal. Mas foi a troca de argumentos entre o Bloco e o deputado do Chega que mais animou a sessão, com André Ventura a desafiar o bloquista Moisés Ferreira para que dê o exemplo abdicando do seu salário.

O PS deixou claro, pela voz de João Paulo Correia, vice-presidente da bancada, que neste debate está do lado da iniciativa privada.

“Neste contexto, e em qualquer outro contexto, o Partido Socialista valoriza a iniciativa privada. Todas as empresas que aderem ao 'lay-off' simplificado já estão impedidas de distribuir dividendos ou outras formas de remuneração aos seus acionistas ou sócios.”

Mas a garantia não convence João Cotrim de Figueiredo. “O PCP quer proibir a distribuição de dividendos se forem pagos aos portugueses comuns, mas se forem pagos ao Estado já são permitidos. Porquê? Se for ao Estado já não é capitalista e exploração?”

“É uma proposta tão discriminatória e tão prejudicial ao funcionamento da economia que nem o Governo o apoia, embora imagino que isso custe muito a alguns neo-marxistas do PS.”

Moisés Ferreira, do Bloco de Esquerda, lamentou que a direita esteja a “incentivar a ganância”.

“Sim, no meio de tudo isto, e perante tudo isto, há quem insista em viver acima das possibilidades do país e há quem insista em distribuir dividendos milionários aos seus acionistas. E há também aqui quem feche os olhos, quem permita ou incentive a ganância desses acionistas.”

Mas o comentário mereceu um reparo imediato de André Ventura. “Sabe o que é que quem está lá fora está a dizer senhor deputado? Ganância a sua! Abdique do seu salário, por exemplo.”

“Se abdicares do teu eu abdico do meu já. Já”, desafiou André Ventura, num tom já mais familiar.

PS e PSD não ficaram fora das críticas, com o PAN a lembrar que até Rui Rio defendeu que era preciso travar os lucros imorais da banca, ao mesmo tempo que o seu partido chumba as propostas no Parlamento.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.