Tempo
|
A+ / A-

OMS

Violência doméstica aumentou 60% durante confinamento na Europa

07 mai, 2020 - 11:56 • Redação com Lusa

Organização Mundial da Saúde admite "profunda preocupação" com número crescente de casos. Portugal é um dos países em que se verificou um aumento de pedidos de ajuda.

A+ / A-
Veja também:

O número de casos de violência doméstica aumentou até 60% durante o confinamento imposto pela pandemia do novo coronavírus, segundo alertou, esta quinta-feira, o departamento europeu da Organização Mundial de Saúde (OMS), que manifestou “profunda preocupação”.

O diretor para a região europeia, Hans Kluge, afirmou, em conferência de imprensa virtual, que, em países como a Bélgica, Bulgária, França, Irlanda, Federação Russa, Espanha e Reino Unido, aumentaram os casos de “violência interpessoal” entre parceiros íntimos e contra crianças.

Hans Kluge indicou que o número de chamadas de mulheres vítimas de violência doméstica teve aumentos até 60% nos países europeus. As denúncias online aumentaram até cinco vezes durante o mês de abril, por comparação com os números do mesmo período do ano passado.

A ONU já tinha demonstrado preocupação com este fenómeno. A 29 de abril, um estudo do Fundo de População revelou que tinham sido registados quase 31 milhões de casos adicionais de violência de género.

O Papa Francisco também alertou, a 4 de maio, para a vulnerabilidade de alguns durante o isolamento e rezou "pelas famílias, para que continuem em paz com criatividade e paciência".

A 29 de abril, a Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica deu conta de que, em 15 dias, recebera cerca de 2.800 participações e pedidos de atendimento, 71 dos quais presenciais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+