|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Nobel da Paz, antiga primeira-ministra, ativistas. Os 20 nomes que vão moderar "posts" do Facebook

07 mai, 2020 - 07:19 • Inês Braga Sampaio

Helle Thorning-Schmidt, antiga primeira-ministra da Dinamarca, e Tawakkol Karman, vencedora do Prémio Nobel da Paz, são dois dos 20 nomes escolhidos para o Oversight Board.

A+ / A-

O Facebook divulgou os nomes dos primeiros 20 membros do seu Oversight Board, corpo independente que poderá inverter as decisões de moderação do conteúdo da própria rede social, que inclui o Instagram.

O Oversight Board receberá recursos de utilizadores do Facebook e do Instagram, discutirá o caso em grupo e decidirá se o "post" controverso em causa deve ser eliminado. Este corpo independente admite terá de escolher em que casos pegar, dada a quantidade deles.

Em novembro de 2018, o Facebook anunciou que criaria um corpo independente de moderação e conteúdo, depois de ter sido acusado de "fintar" o tema, nomeadamente em relação à interferência da Rússia. Este grupo de 20 pessoas inclui advogados, jornalistas, ativistas de direitos humanos, entre outras profissões.

O Oversight Board publicará relatórios de transparência todos os anos e monitorizará o que o Facebook e o Instagram fazem com as suas recomendações. A duas redes sociais prometem implementar as decisões do corpo independente, "a não ser que violem a lei", de acordo com Brent Harris, diretor de assuntos internacionais do Facebook.

Entre os 20 eleitos, destacam-se Tawakkol Karman, vencedora do Prémio Nobel da Paz de 2011, Andras Sajo, antigo juiz e vice-presidente do Tribunal Europeu de Direitos Humanos, ou Helle Thorning-Schmidt, antiga primeira-ministra da Dinamarca.

Lista de 20 membros:

  • Afia Asantewaa Asare-Kyei, defensor de direitos humanos na Open Society Initiative for West Africa
  • Evelyn Aswad, professora da Faculdade de Direito da Universidade de Oklahoma que já foi advogada do Departamento de Estado dos EUA
  • Endy Bayuni, jornalista que foi editor-chefe do Jakarta Post
  • Catalina Botero-Marino, co-diretora do Oversight Board, diretora da Faculdade de Direito da Universidade dos Andes
  • Katherine Chen, estudiosa de comunicações da Universidade NAcional de Chengchi e antiga reguladora de comunicações em Taiwan
  • Nighat Dad, ativista de direitos digitais que recebeu o Prémio Tulipa de Direitos Humanos
  • Jamal Greene, co-diretor do Oversight Board, professor de direito da Universidade de Columbia
  • Pamela Karlan, professora de direito da Universidade de Stanford, advogada do Supremo Tribunal dos EUA
  • Tawakkol Karman, vencedora do Prémio Nobel da Paz
  • Maina Kiai, diretora do programa de Alianças e Parcerias Globais do Observatório dos Direitos Humanos
  • Sudhir Krishnaswamy, vice-chanceler da Faculdade de Direito da Universidade da Índia
  • Ronaldo Lemos, advogado de propriedade tecnológica e intelectual, professor de direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Michael McConnell, co-diretor do Oversight Board, professor de direito da Universidade de Stanford, antigo juiz do Circuito Federal dos EUA
  • Julie Owono, ativista de direitos digitais e anti-censura que lidera a Internet Sem Fronteiras
  • Emi Palmor, antigo diretor-geral do Ministério da Justiça de Israel
  • Alan Rusbridger, antigo editor-chefe do jornal britânico "The Guardian"
  • Andras Sajo, antigo juiz e vice-presidente do Tribunal Europeu de Direitos Humanos
  • John Samples, que ajuda a liderar um laboratório de ideias e tem extensa literatura publicada sobre regulação de discurso e redes sociais
  • Nicolas Suzor, professor da Faculdade de Direito Tecnológico da Universidade de Queensland
  • Helle Thorning-Schmidt, co-diretora do Oversight Board, antiga primeira-ministra da Dinamarca
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.