Tempo
|
A+ / A-

Celebramos o ​Dia Mundial da Língua Portuguesa pela primeira vez. A festa é na internet e há um concurso literário

05 mai, 2020 - 06:00 • Maria João Costa

É a quinta língua mais utilizada online e é falada por 265 milhões de pessoas em todo o mundo. Esta terça-feira assinala-se, pela primeira vez, o Dia Mundial da Língua Portuguesa.

A+ / A-

É de letras que falamos quando nos referimos a uma língua, mas, no caso da Língua Portuguesa, são os números que falam por si. Em todo o mundo há 265 milhões de falantes de Português, em cinco continentes, ou seja 3,7% da população mundial usa o Português no seu dia a dia.

A quarta língua mais falada no mundo como língua materna, a seguir ao Mandarim, Inglês e Espanhol, é o idioma oficial de nove países. Esta terça-feira assinala-se, pela primeira vez, o Dia Mundial da Língua Portuguesa.

A data determinada, em novembro, pela organização das Nações Unidas para a Ciência, Educação e Cultura (UNESCO) deveria ser assinalada com diversas iniciativas em ambiente de festa, mas a pandemia de Covid-19 trocou as voltas às celebrações.

A internet, onde o Português é a quinta língua mais utilizada, será o palco privilegiado das comemorações.

A autarquia de Lisboa, que tinha previsto para este ano o lançamento de um novo festival literário na cidade, resolveu adaptar-se às circunstâncias e vai, nesta terça-feira, assinalar o primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa com programação digital dedicada à língua e à literatura, onde participarão 11 autores de oito países.

Através do site lisboa5l.pt, do Facebook da Câmara Municipal de Lisboa e do Facebook da Rede de Bibliotecas de Lisboa, o público poderá assistir, a partir das 15h30, a uma cerimónia de abertura do evento com as presenças do autarca de Lisboa, Fernando Medina; do embaixador de Portugal na Unesco, Sampaio da Nóvoa; e do diretor artístico do novo Festival Internacional de Lisboa 5L (5L de “Língua, Livros, Literatura, Leituras e Livrarias”), José Pinho.

Durante a tarde, a partir das 15h55, será transmitida uma curta-metragem, de Tiago Pereira, intitulada “A Língua Portuguesa a Gostar dela Própria”.

Depois, para as 16h00, está previsto um debate sobre “Viagens da Língua Portuguesa”, que contará com os escritores Ana Margarida de Carvalho (Portugal), António Prata (Brasil), Flaviano Mindela dos Santos (Guiné-Bissau), Germano de Almeida (Cabo Verde), José Eduardo Agualusa (Angola) e Olinda Beja (São Tomé e Príncipe). A moderação está a cargo da jornalista Isabel Lucas.

Mais tarde, pelas 17h30, está previsto um debate em torno do tema “Literatura de Reconstrução”, no qual participarão os autores Dulce Maria Cardoso (Portugal), Isabela Figueiredo (Portugal), Ondjaki (Angola), Luís Cardoso (Timor-Leste) e Mbate Pedro (Moçambique). Neste caso, a moderação está entregue ao brasileiro Afonso Borges.

Às 18h45, será emitida ainda a curta-metragem “Vozes do Português”, de Tiago Pereira.

O Festival 5L que este ano ficou adiado, deverá ter lugar no próximo ano, de 5 a 9 de maio.

Estima-se que, em 2050, haverá quase 400 milhões de falantes de Português. E para assinalar este primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa, multiplicam-se as iniciativas. Esta terça-feira é lançado um concurso literário internacional pensado para estudantes de língua e literatura portuguesas espalhados pelo mundo. Os "Contos do Dia Mundial da Língua Portuguesa" é uma iniciativa conjunta do Camões Instituto, da Porto Editora e do Plano Nacional de Leitura (PNL).

A ideia é os alunos de português escreverem um conto inédito, no máximo de três páginas. Os estudantes podem candidatar-se por categorias “atendendo à idade (dos 8 aos 14 anos e a partir dos 15 anos) e níveis de proficiência da língua dos alunos”, explica a Porto Editora, num comunicado em que acrescenta que “os trabalhos serão avaliados por um júri de cinco elementos em representação das três entidades organizadoras”. Dentro de um ano, quando se assinalar os segundo Dia Mundial da Língua Portuguesa, a 5 de maio de 2021, serão divulgados os vencedores.

Para Teresa Calçada, a comissária do Plano Nacional de Leitura, este concurso representa “um desafio que, dirigido aos estudantes de Português dos cinco continentes, convoca a escrita, a leitura, o pensamento e a criatividade como forma de recriar e celebrar a língua portuguesa".

Já o presidente do Instituto Camões, Luís Faro Ramos, refere que "este incentivo à criação em Língua Portuguesa junto dos jovens que estudam em Português em 76 países, em cinco continentes, visa não só estimular competências linguísticas, mas apoiar o diálogo e o encontro entre culturas”.

Graciete Teixeira, da Porto Editora, considera que o concurso literário reflete a universalidade da Língua Portuguesa e constitui uma outra forma de promover a língua nas mais diversas geografias.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.